22 de outubro de 2018
  • :
  • :

Escolas da orla de Camaçari serão requalificadas

Escolas da orla de Camaçari serão requalificadas

A Prefeitura de Camaçari tem realizado ações de requalificação nas escolas municipais e, em continuidade ao processo de intervenções, dará início, na próxima semana, ao roteiro de obras de melhorias nas escolas da orla. Por conta disso, a secretária de Educação, Neurilene Martins, visitou, na manhã desta sexta-feira (27), a Escola Municipal Silvio Pereira Franco, localizada em Catu de Abrantes.

A visita teve como finalidade ouvir os alunos, professores e demais funcionários da unidade escolar para identificar as necessidades da comunidade estudantil e adequá-las ao processo de requalificação. Todas as escolas que passarão pelas intervenções receberão a visita da gestora da pasta.

Só em 2017, a prefeitura requalificou 28 escolas, e para este ano a pretensão é contemplar 40 instituições. “Vale ressaltar que em 2016 não houve nenhuma intervenção nas escolas municipais, e a nossa intenção é melhorar a estrutura delas. Por isso, vamos para mais uma etapa a partir da próxima semana, contemplando seis escolas. Em seguida serão mais seis escolas e, por fim, mais seis, até o final do semestre, totalizando 40 requalificações este ano”, destacou Neurilene Martins.

As seis primeiras escolas da orla a passar pelas intervenções são: Escola Municipal Nossa Senhora de Santana (Cordoaria – Abrantes); Escola Municipal Sucupira (Zona Rural de Abrantes); Escola Municipal Giltônia Pereira de Souza (Arembepe); Escola Municipal Silvio Pereira Franco (Catu de Abrantes); Centro Educacional Marquês de Abrantes (Vila de Abrantes); e Escola Maclina Maria da Glória (Buris de Abrantes).

“Essa ação é ligada diretamente à condição de trabalho dos professores e de aprendizado dos estudantes. Ter um ambiente pedagógico requalificado amplia as oportunidades, porque quando a gente altera a estrutura, a gente garante o bem-estar e um ambiente educativo para nossos alunos. Por isso, nós fazemos questão de vir até as escolas para escutar todos os envolvidos, para que a gente crie um sentimento de pertencimento e possa construir novos ambientes juntos”, conclui a secretária.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *