12 de novembro de 2019
  • :
  • :

Dupla feminina faz música politizada e é comparada a Legião

Dupla feminina faz música politizada e é comparada a Legião

Quem disse que sertanejo não combina com crítica social? As irmãs Lorena e Rafaela estão aí como caso recente para provar que o gênero mais popular do Brasil — muitas vezes taxado de “alienado” — pode analisar o cenário atual do país.

A música “Políticos de Terceiro Mundo”, que viralizou na internet, apresenta uma composição madura sobre a classe política brasileira e a “vida do justo que não vale nada”. O sucesso já é tanto que a canção foi comparada nas redes sociais a clássicos da Legião Urbana e acabou abraçada até por roqueiros.

“A ideia para escrever esta canção partiu deste momento que dura há tempos no cenário político atual e nos atinge como cidadãos. Digo da dificuldade que sofrem na pele as famílias a terem acesso a uma boa educação e uma saúde de qualidade, que são direitos básicos da população honesta que trabalha e que, mesmo com as dificuldades, pagam suas contas em dia”, diz Lorena, de 16 anos, em entrevista ao UOL.

E não pense que o sertanejo politizado é coisa recente. As meninas reiteram que outras faixas também dialogam sobre a dificuldade das famílias e o que anda errado no Brasil, como “Meu País”, de Zezé Di Camargo e Luciano, e “Mensagem de Amor”, de Milionário e José Rico. “Então no sertanejo também se encontram letras politizadas e, claro, tem espaço para todos os temas”, acrescenta a garota.

“Políticos de Terceiro Mundo” ganhou repercussão nas redes sociais e algumas comparações são inevitáveis. Um ano mais velha que a irmã, Lorena fala sobre o apoio de diferentes estilos musicais e tentativas pedidos para regravar a música — a dupla não liberou devido as imposições de condições de exclusividade.

“Nos sentimos muito honradas por essa aceitação que estamos tendo de outras vertentes. E o rock sempre esteve à frente dessas músicas de protesto. Talvez seja essa a fonte da comparação. Mas quero dizer que em todo nosso trabalho sempre tratamos diversos temas, dentre eles a crítica social”.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *