30 de março de 2020
  • :
  • :

Ministro da Saúde visita obras do Hospital Municipal de Salvador

Ministro da Saúde visita obras do Hospital Municipal de Salvador

Com 95% do imóvel concluído, as obras de construção do primeiro Hospital Municipal de Salvador foram apresentadas pelo prefeito ACM Neto ao ministro da Saúde, Ricardo Barros, nesta terça-feira (6), na Boca da Mata, região administrativa de Cajazeiras. A ação foi acompanhada pelo vice-prefeito Bruno Reis; pelos secretários da Saúde, José Antônio Rodrigues Alves, e de Gabinete, João Roma; demais autoridades e técnicos.

Nos três pavimentos, foram verificados setores como as UTIs adulto e pediátrica, salas de triagem e observação. A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), já adquiriu a maior parte dos equipamentos para o serviço. O investimento de R$120 milhões na construção e equipamentos é oriundo exclusivamente dos cofres municipais.

O prefeito agradeceu a Ricardo Barros por ter aceitado o convite para visitar as obras do hospital, e afirmou que o compromisso é fazer a entrega no dia 29 de março, como um presente de aniversário para a capital baiana. “A expectativa da Prefeitura é de conseguir atender a essa área de Cajazeiras, que é uma das mais pobres e de maior densidade, mas é claro que vai ser um hospital para toda a cidade. Queremos reduzir essa demanda, que é ainda reprimida, de atendimento hospitalar da população”, afirmou o prefeito.

Solicitação – Na ocasião, também foi reforçada a solicitação para a pasta federal de auxílio com os custeios na manutenção do serviço que, para ACM Neto, resultará também em uma transformação social em Salvador. “Estamos conversando com o Ministério da Saúde e, inclusive, já foi encaminhada a solicitação ao presidente da República para ter a presença e parceria do governo federal nos recursos necessários para o funcionamento do hospital. Esta é uma obra que terá, inclusive, um impacto social na cidade”, completou o prefeito.

O ministro explicou que, inicialmente, a contribuição a ser dada é padrão no país e refere-se ao faturamento dos serviços prestados na unidade. “O hospital terá os credenciamentos e habilitações necessários e tudo o que for produzido aqui terá a remuneração federal de 50% do custo do serviço. Tenho certeza de que será oferecido aqui um serviço de altíssima qualidade. O modelo mais eficiente de gestão será implantado aqui. A contribuição de parlamentares também ajudará na sustentabilidade dessa maravilhosa obra”, destacou Barros.

O secretário Rodrigues Alves também lembrou que o hospital contará com as áreas de ensino, residência médica e internato, sendo, portanto, um equipamento que vai além da assistência de saúde, promovendo aprendizado aos futuros profissionais da área.

Estrutura – O Hospital Municipal de Salvador funcionará 24 horas por dia, com capacidade para atender urgências, integrando-se, assim, às Unidades de Pronto Atendimento Municipais (UPAs) e servindo de retaguarda para os casos mais complexos. A unidade terá ênfase em atendimentos de urgência e emergência, mas também contará com um ambulatório de egressos da unidade hospitalar para dar suporte ao atendimento. Ao todo, serão 210 leitos – 30 de UTI (adulto e pediátrico), 150 de clínica médica cirúrgica e 30 de clínica pediátrica.

A emergência terá ênfase em traumatologia, ortopedia e urgências clínicas. Para isso, haverá 26 leitos de observação para adultos, sete leitos de observação pediátrica e 22 poltronas para aplicação de medicamentos. A área também contará com salas de curativo, aplicação de gesso e estabilização; quatro boxes de reanimação de vida e oito leitos similares ao de terapia intensiva. O hospital receberá pacientes regulados e imediatos, seguindo o Protocolo de Manchester, que utiliza a classificação de risco por cor para o acolhimento. O ambulatório de egressos da unidade hospitalar terá consultórios de cardiologia, cirurgia geral, neurologia, cirurgia pediátrica, pediatria, generalista e ortopedia e traumatologia.

Além disso, haverá Serviço Social, pré-consulta de enfermagem, centro de apoio diagnóstico, agência de transfusão sanguínea, laboratórios de análises clínicas e serviços de Bio-Imagem, como ressonância magnética, tomografia, ultrassonografia com Doppler, eletroencefalograma, eco-cardiograma, eletroneuromiografia e radiologia digital. A concepção arquitetônica do equipamento de saúde foi planejada por acomodações de hotelaria em espaços de dois leitos, que podem ser adequados à necessidade da unidade. O hospital também contará com um heliporto no pavimento da cobertura e com uma base do Serviço de Atendimento Móvel (SAMU).

Hospital Dia – A programação assistencial será complementada pelo Hospital Dia, bloco auxiliar que terá duas salas de Cirurgia Ambulatorial, 12 leitos de internação, um Centro de Vídeo-Endoscopias (com três salas de exames e oito poltronas de repouso) e uma Unidade de Atenção Domiciliar. Serão associados ao Hospital Dia um Ambulatório Cirúrgico com dois consultórios de triagem, e mais um consultório de enfermagem e um de anestesiologia, cujo objetivo é fazer o pré e pós-atendimento de pacientes cirúrgicos.

Atendimentos – Apenas na unidade de emergência, a estimativa é que sejam atendidos 1,2 mil pacientes por mês. No ambulatorial de egressos e no Hospital Dia devem ser realizadas 63 mil consultas ao mês. Outros 750 procedimentos mensais devem ser realizados no Centro de Endoscopia; 2,4 mil exames mensais no serviço de apoio diagnóstico e terapêutico; 10 mil procedimentos de apoio-diagnóstico e média complexidade. Também estima-se a realização de cerca de 500 cirurgias mensais no bloco operatório, além de 1,1 mil internações mensais – levando em conta os 210 leitos hospitalares previstos para os dois primeiros anos de funcionamento do hospital.

Foto: Max Haack/SECOM-PMS




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *