21 de agosto de 2019
  • :
  • :

Ações vão marcar o Dia Internacional da Síndrome de Down na Bahia

Ações vão marcar o Dia Internacional da Síndrome de Down na Bahia

A Bahia se mobiliza para celebrar o Dia Internacional da Síndrome de Down, na próxima quinta-feira, 21 de março. A SerDown – Associação Baiana de Síndrome de Down, juntamente com a Apae Salvador, promove uma série de ações em alusão à passagem da data. Nos próximos dias, no rádio e na tevê, também será veiculada uma campanha que destaca as potencialidades das pessoas com Down, até hoje vítimas de preconceito.

No dia 21, às 9h, no plenário Cosme de Farias da Câmara Municipal de Salvador, será realizada uma sessão especial em comemoração ao Dia Internacional da Síndrome de Down. Durante a ação, de iniciativa do vereador Cezar Leite, serão debatidos temas como a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Ainda no dia 21, às 13h, será realizada uma sessão de cinema gratuita no Center Lapa para pessoas com Síndrome de Down.

No domingo, 24, das 8 às 12h, o Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência (COMPED) irá prestar, em parceria com a Prefeitura de Salvador e instituições membros do Conselho (SerDown, Apae Salvador, Instituto Guanabara, Instituto de Organização Neurológica da Bahia (ION-BA), Arca do Brasil, Associação Baiana Para Cultura e Inclusão (ABACI), Fraternidade Cristã de Pessoas com Deficiência (FCD), Associação Baiana de Deficientes Físicos (ABADEF), Associação Educacional Sons no Silêncio (AESOS), assistência a pessoas com Síndrome de Down.

Estas instituições vão participar do projeto Ruas de Lazer, no Dique do Tororó, em Salvador. Haverá caminhada, fanfarra, apresentação artística, de capoeira, judô, dentre outras. Está confirmada também a realização de aulões para a garotada com a presença dos campeões de boxe Jailson Santos e Elber Passos. O mestre de Jiu Jitsu Pablo Passos fará, ainda, uma apresentação para os presentes. Também neste dia, às 18h, onze crianças de diversas instituições que atendem pessoas com Síndrome de Down vão entrar em campo com os jogadores do Bahia, na partida contra o Salgueiro pela Copa do Nordeste.

“Vamos aproveitar estas ações para promover o verdadeiro sentido da inclusão social. Nosso propósito é mostrar à sociedade civil que a diversidade nos torna ricos como seres humanos”, destaca Lívia Borges, diretora da SerDown e presidente do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência.
Campanha – A campanha exibida no rádio e na TV mostra que as pessoas com Síndrome de Down podem ir longe. Assim como famosos, a exemplo de Albert Einstein e Charlie Chaplin, que foram questionados sobre o seu talento, pessoas com a alteração genética do cromossomo 21 podem desenvolver inúmeras potencialidades.

A protagonista da campanha é Cacai Bauer, de 24 anos, a primeira influenciadora digital brasileira com Síndrome de Down. Antes de se tornar conhecida na web, ela ouviu de muitas pessoas que nunca teria chances, não poderia trabalhar e nem aprender.
O potencial da baiana Cacai pode ser conferido em seu canal no YouTube. E ela não vai parar por aí. Pretende seguir a carreira como atriz profissional e se tornar ainda mais reconhecida. “Estou no segundo ano do ensino médio e quero fazer artes cênicas na universidade”, avisa.

Cacai afirma ter gostado da campanha pela passagem do 21 de março e aposta no sucesso das pessoas com ela. “A campanha mostra que ser deferente é normal, que as pessoas com Down só precisam de mais consideração, paciência e oportunidade”, afirma. E completa: “Existe preconceito, mas isso já diminuiu bastante. Há quem nos veja como ‘doentes’, pois não sabem que Síndrome de Down não é doença e sim uma alteração genética do cromossomo 21”.

Pai de Cacai, o jornalista Dalmo Lemos acredita que a sociedade já avançou no que tange ao preconceito em relação às pessoas com Down, embora ainda exista um caminho a ser percorrido. “Elas já não são tão vistas como incapazes e vem mostrando que só precisam de uma chance, amor e cooperação dos pais e amigos. Mas, em suas carreiras, ainda enfrentam dificuldades. O mercado publicitário baiano, por exemplo, investe pouco nos influenciadores digitais que possuem algum tipo de deficiência”, considera.
Para Lívia Borges, quanto mais pessoas são alcançadas com a mensagem da campanha, melhor, já que “a informação e a convivência são fundamentais para desmistificar ideias e romper preconceitos relacionados à Síndrome de Down”.

21 de março –
Sob o tema este ano “Ninguém fica pra trás”, o Dia Internacional da Síndrome de Down, celebrado no dia 21 de março nos países-membros da Organização das Nações Unidas (ONU), entrou no calendário da organização por iniciativa brasileira.

ABom Associação Baiana de Síndrome de Down – SerDown, entidade sem fins lucrativos criada por pais de pessoas com Síndrome de Down, acredita no grande potencial de pessoas com síndrome de Down e que seu desenvolvimento depende muito da cultura desenvolvida na sociedade.

Neste sentido, a SerDown luta para transformar valores, romper paradigmas e modificar crenças sociais que ainda fazem com que as pessoas com síndrome de Down e com outras deficiências fiquem excluídas dos espaços sociais. “Lutamos por uma sociedade mais fraterna, justa e igualitária”, resume Lívia Borges.

Foto: Divulgação




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *