24 de agosto de 2019
  • :
  • :

ACM Neto autoriza construção da UPA Cidade Baixa

ACM Neto autoriza construção da UPA Cidade Baixa

Já fazem quase três anos do fechamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Roma, pelo governo estadual, e desde então os moradores da Cidade Baixa pedem à Prefeitura a construção de um novo equipamento do tipo. Esse desejo começou a se realizar nesta terça-feira (30), quando o prefeito ACM Neto deu início às obras da UPA da região, na Avenida Dendezeiros, no Bonfim – bem em frente às Obras Sociais Irmã Dulce (Osid).

A ordem de serviço foi assinada no local nesta terça-feira (30), em evento que contou ainda com as presenças do vice-prefeito Bruno Reis, do secretário municipal da Saúde, Luiz Galvão, demais gestores e autoridades municipais, lideranças comunitárias e população.

O prefeito ressaltou os desafios enfrentados pela gestão municipal com o fechamento da UPA de Roma, desde as cobranças da população causada pela decisão estadual até o processo judicial pelo terreno. “A gente percebe a necessidade dos moradores da Cidade Baixa, inclusive alguns do Subúrbio, pelos serviços de urgência e emergência. A Prefeitura assumiu o que era uma tarefa do governo estadual e, depois de uma luta para garantir a desapropriação do terreno, finalmente conseguimos concluir todo o processo. A empresa está com a ordem de serviço dado para começar as obras agora. A gente espera que, já no próximo ano, toda a população da região possa ter atendidas as necessidades de urgência e emergência”, relatou ACM Neto.

A unidade de saúde é um desejo dos moradores do Distrito Sanitário de Itapagipe, que atualmente não contam com um equipamento do tipo – a estrutura semelhante mais próxima, de acordo com o secretário Luiz Galvão, está localizada a 15 quilômetros de distância. “A UPA Cidade Baixa vai funcionar 24 horas por dia e terá capacidade para atender a 450 pessoas diariamente. Com isso, será feita uma reparação com a população devido ao fechamento da UPA de Roma”, salientou o titular da secretaria.

Estrutura – O investimento total para a UPA Cidade Baixa, incluindo desapropriação, construção e equipamentos, é de R$10 milhões. Os serviços oferecidos serão de urgência e emergência, com atuação de uma equipe multiprofissional e interdisciplinar composta pelas categorias profissionais necessárias ao atendimento. Esta equipe será integrada pelos seguintes serviços: medicina-clínica; pediátrica; ortopédica; odontológica; enfermagem; serviço social; nutrição; farmácia; e apoio diagnóstico.

A UPA será composta por seis consultórios médicos, um consultório odontológico, laboratório, central de material esterilizado, sala de classificação de risco, sala de reanimação, observação adulto (masculino e feminino) e pediátrica. Além disso, terá também recepção, salas de espera, áreas administrativas, vestiários, depósito de material de limpeza e almoxarifado.

Por se tratar de UPA tipo III, a unidade possuirá 26 leitos assim distribuídos: quatro de reanimação, 24 de observação (sendo cinco pediátricos) e três de isolamento. Haverá ainda duas salas de inaloterapia adulto e pediátrico, duas de administração de medicamentos adulto e pediátrico, além de espaços de RX, ECG, sala de pequenos procedimentos, serviço social, farmácia satélite, laboratório e almoxarifado.

Balanço – A UPA Cidade Baixa será a décima estrutura do tipo administrada pela Prefeitura – a nona construída pela gestão municipal desde 2013. Estão em funcionamento as Unidades de Pronto Atendimento de Periperi, Paripe, Brotas, San Martin, Santo Inácio/Pirajá, Parque São Cristóvão, Valéria, Barris e Itapuã (Hélio Machado).

Foto: Max Haack/SECOM-PMS




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *