5 de dezembro de 2019
  • :
  • :

Comissão de Meio Ambiente da ALBA vistoria barragem em Rio de Contas

Comissão de Meio Ambiente da ALBA vistoria barragem em Rio de Contas

Mais uma barragem foi vistoriada nesta segunda-feira (13), por engenheiros e pelo presidente da Comissão do Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), deputado estadual José de Arimateia (PRB). Desta vez, a vistoria aconteceu na barragem Luiz Vieira, situada no município baiano de Rio de Contas, localizado a 606 quilômetros de Salvador, que abastece diversas cidades baianas, a exemplo de Livramento de Nossa Senhora, Rio de Contas e Dom Basílio.

O cronograma aprovado pelo Colegiado foi definido com base nas informações do relatório fornecido pela Agência Nacional das Águas (ANA), que classifica a Barragem de Luiz Vieira como uma das que apresenta risco de rompimento iminente. Após a vistoria, os engenheiros constataram que, caso não tenha uma manutenção emergencial pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), existe o risco de rompimento.

Segundo informações do engenheiro agrônomo e assessor técnico da Comissão do Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos da ALBA, Eduardo Macário, os problemas apontados no Relatório da ANA, cujos dados são de 2017, continuam sem a manutenção necessária. Durante a inspeção, ele verificou grandes erosões, quantidade densa de vegetação arbustiva e válvulas dispersoras funcionando inadequadamente, pois, com o sistema elétrico imperfeito, sua operação acaba sendo manual.

“Como o volume acumulado está muito baixo, a barragem de Luiz Vieira não apresenta risco, mas em caso de fortes chuvas, a situação pode se agravar com risco à integridade do equipamento. Para gerir o risco enquanto a manutenção não chega e em caso de fortes chuvas, deve-se abrir as válvulas ao máximo, evitando que o volume acumulado atinja o volume próximo à capacidade instalada”, disse Macário.

Sempre atento aos assuntos referentes à segurança das barragens do estado da Bahia, o presidente do Colegiado informou que, segundo a Dnocs, existe um valor estimado de três milhões e duzentos mil reais para a recuperação da barragem. Para cobrar maiores esclarecimentos acerca da manutenção das barragens do estado, o parlamentar garantiu que irá pessoalmente, no próximo dia 16 de maio, à sede do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs), em Fortaleza. “Irei dialogar com representantes do órgão para saber qual a razão da letargia, pois existe recurso para os investimentos necessários. O meu objetivo é provocar uma mudança de cenário para a segurança de toda a população baiana”, garantiu Arimateia.

Três barragens ainda serão vistoriadas na Bahia pela Comissão do Meio Ambiente. No próximo dia 20 de maio, a Barragem de Cipó, localizada no município baiano de Mirante, será inspecionada. Já no dia 23 de maio, será a vez da barragem Tabua II, em Ibiassucê e, por fim, em 30 de maio, a barragem de Zabumbão, no município de Paramirim.

Até o presente momento, os parlamentares que integram a Comissão já visitaram a Barragem de Araci, a RS1 e RS2, em Camaçari, situada na Região Metropolitana de Salvador (RMS), a Barragem de Afligidos, localizada no município baiano de São Gonçalo dos Campos, a Barragem de Rejeitos Mineração Caraíba S/A, em Jaguarari, a barragem de Apertado, em Mucugê e a de Pinhões, em Juazeiro.

Foto: Divulgação




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *