24 de junho de 2019
  • :
  • :

Prefeitura de Salvador abre 800 vagas em curso gratuito para o Enem

Prefeitura de Salvador abre 800 vagas em curso gratuito para o Enem

Recém-saído do Colégio Estadual Helena Celestino Magalhães, no IAPI, Tiago Espinheira, de 19 anos, era só ansiedade em conseguir uma vaga no programa Ingressar. Com 800 vagas gratuitas a serem ofertadas através da Prefeitura em 2019, a segunda edição do curso preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e pré-vestibulares teve os detalhes apresentados hoje (27) pelo prefeito ACM Neto e pela secretária municipal de Política para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), Rogéria Santos.

O evento ocorreu no auditório do Hub Salvador, no Comércio, e as inscrições já estão abertas, até o próximo dia 9, pela internet ou presencialmente. O prefeito salientou que ainda é muito desigual o acesso às universidades públicas – hoje, alunos oriundos de instituições privadas, com condições financeiras melhores, ainda conseguem a maioria das vagas do ensino superior gratuito.

O Ingressar, então, surge como uma oportunidade para os jovens que não têm condições de pagar por uma preparação extra. “O objetivo do Ingressar é levar o cursinho, qualificar e preparar esses jovens vindos de escola pública, ao longo dos próximos meses. Os alunos da escola particular ainda têm vantagem sobre os alunos da escola pública e a gente quer, aos poucos, superar essa realidade”, afirmou ACM Neto.

“É muito boa essa oportunidade, principalmente para quem não tem dinheiro poder estudar e ingressar na faculdade, porque é muito difícil. Dá a oportunidade, inclusive, para muitos jovens que não entram na faculdade por causa (da falta) do estudo e, aí, acabam caindo no mundo do crime”, pontuou Tiago Espinheira, que fez questão de comparecer ao lançamento do programa para conhecer de perto os detalhes da inscrição. Ele pretende, com o Ingressar, tentar realizar o sonho de cursar Administração ou Psicologia.

Como funciona – Com investimento de pouco mais de R$1,6 milhão, por meio da SPMJ, o Ingressar é realizado pelo segundo ano consecutivo. O programa é voltado para jovens entre 16 e 29 anos de idade, residentes em Salvador, oriundos do 3º ano do ensino médio em instituições públicas ou bolsistas de unidades privadas de ensino, além de egressos da Educação de Jovens e Adultos (EJA). A seleção é feita através de pontuação que, além dos critérios acima, também inclui participantes de programas sociais ou em situação de vulnerabilidade social.

As inscrições podem ser feitas pela internet, no site www.ingressar. salvador.ba.gov.br, ou presencialmente no Infocentro da Juventude, localizado na Avenida Sete de Setembro, 202, Edifício Adolpho Basbaum, 4º andar, defronte ao Mosteiro de São Bento. No local, técnicos capacitados estarão à disposição para auxiliar os jovens que tenham dúvidas nas inscrições.

No momento da inscrição, é essencial apresentar a documentação exigida em edital, seja ela em cópia acompanhada de original (presencial) ou cópia autenticada em cartório (presencial e internet). Do total de vagas, 5% é reservado para pessoas com deficiência, 30% para pessoas negras e 5% para jovens participantes de programas sociais da Fundação Cidade-Mãe (FCM) ou egressos do sistema socioeducativo.

“O Ingressar tem como objetivos assegurar redes de cidadania para adolescentes e jovens, e fortalecer a capacidade de inclusão, autonomia e capacitação, garantindo a esses jovens carentes o direito de competir, em patamar de igualdade com os demais alunos, por uma vaga em universidade pública. É uma oportunidade única para cada um dos jovens soteropolitanos que desejam investir no seu conhecimento”, afirmou a titular da SPMJ.

Sucesso – A edição 2018 do Ingressar ofertou 400 vagas, com 69 aprovados em universidades públicas. Dentre eles está Yonantha Costa, estudante do curso de Geografia da Universidade Federal da Bahia (Ufba), que contou sobre a experiência de participar da iniciativa. Ela foi aluna do Pré-Enem, uma das instituições contratadas pela Prefeitura no ano passado.

“Primeiro deu uma oportunidade, que não tive no ensino médio, de ter acesso a professores superqualificados e bem empenhados realmente com o objetivo do aluno de ser aprovado. Foi muito mais fácil, prazeroso, nos sentimos valorizados e respeitados, integrados a outros alunos pagantes da instituição, sem distinção”, revelou.

Foto: Valter Pontes/SECOM-PMS




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *