11 de agosto de 2020
  • :
  • :

Baía de Todos-os-Santos ganha primeira boia oceanográfica do Norte-Nordeste

Baía de Todos-os-Santos ganha primeira boia oceanográfica do Norte-Nordeste

A primeira boia oceanográfica e meteorológica do Norte e Nordeste foi instalada na Baía de Todos-os-Santos (BTS) na sexta-feira (02) e passou por sua primeira verificação e checagem na manhã do sábado (03). O equipamento é capaz de fornecer informações sobre a velocidade dos ventos, altura das ondas, temperatura da água e outras variáveis que são capazes de orientar pescadores, esportistas náuticos e também colaborar com pesquisas da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

O jornal A Tarde informa que a boia foi adquirida no ano passado, por um valor não divulgado, pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), faz parte do Sistema de Monitoramento da Costa Brasileira (SiMCosta). Com a instalação do equipamento na BTS, as informações oceanográficas e meteorológicas do local e das proximidades podem ser conferidas no site.

A verificação dos dados e a manutenção da boia estão sobre responsabilidade da Ufba, que também poderá realizar pesquisas com o material coletado. “Os dados fornecidos pelos sensores da boia podem dar informações que são importantes para o cidadão leigo e do lazer, para o esportista e também para a comunidade econômica. Além disso, é uma plataforma de dados científicos gigantesca”, comentou Guilherme Lessa, professor de oceanografia da Ufba.

O equipamento que foi importado do Canadá, precisou passar por adaptações pelo SimCosta para tornar a análise mais eficiente no clima do Brasil. Os mais de oito sensores são capazes de fornecer mais de 20 informações diferentes sobre o clima e temperatura da BTS.

“Um cidadão comum pode estar interessado em saber a velocidade dos ventos e a temperatura do ar. As pessoas que lidam com o mar, os pescadores, por exemplo, podem analisar a altura da maré, das ondas, salinidade e temperatura da água. Já os esportistas, podem verificar a velocidade da corrente e dos ventos”, explicou Lessa.

“A manutenção da boia deve acontecer a cada quinze dias, isso para garantir que os dados da boia estejam calibrados e também para que o equipamento esteja seguro”, afirmou a gerente operacional da SimCosta, Ella Pereira. A representante acrescenta ainda que a boia instalada na BTS é a décima do sistema no Brasil e que a pretensão é de cobrir a costa brasileira inteira.

Outro site – Além do site do SimCosta, as informações poderão ser passadas por um segundo site, onde os usuários poderão ver previsões de até três dias. A plataforma deve começar a funcionar na segunda-feira (05), no btsoceanografia.ufba.br.

A ideia desse segundo site é dos representantes da Ufba em parceria com a i4sea, empresa composta por oceanógrafos, que também ficará responsável pela manutenção da boia. “A gente vai pegar os dados do site do SimCosta e espelhar nesse novo site. O diferencial é que contará com previsões, o que o primeiro site não fornece”, comentou Lessa.

De acordo com ele, as informações podem influenciar as atividades portuárias de Salvador e colaborar com o processo de “gerir o transporte de passageiros e até mesmo de cargas, uma vez que os ventos, as ondas e a maré são requisitos que precisam ser analisados”.

Foto: Divulgação/UFBA




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *