19 de setembro de 2019
  • :
  • :

Garantia da Lei e da Ordem é empregada em 7 dos 9 estados da Região Amazônica

Garantia da Lei e da Ordem é empregada em 7 dos 9 estados da Região Amazônica

Dos nove estados que compõem a Amazônia Legal, até o momento sete formalizaram e tiveram autorizada a solicitação, pela Presidência da República, para emprego da Garantia da Lei e da Ordem Ambiental (GLOA). São eles: Acre, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. A partir dessas demandas, estão sendo planejadas as ações de apoio das Forças Armadas às iniciativas já em andamento de combate aos focos de incêndio na região.

A missão das Forças Armadas na GLOA é de atuar, em coordenação com os órgãos de controle ambiental e de segurança pública, que já trabalham em nível estadual, para combater os crimes ambientais na Amazônia Legal.

As Forças Armadas já estão atuando com duas aeronaves C-130 Hércules, próprias para combater incêndios, em Porto Velho (RO). De acordo com a Aeronáutica, o C-130 conta com o sistema chamado MAFFS, do inglês Modular Airborne Fire Fighting System. O equipamento é composto por cinco tanques de água, que comportam até 12 mil litros de água, e dois tubos que se projetam pela porta traseira do avião.

Para realizar a missão, o avião tem que sobrevoar a área do incêndio a uma altura de 150 pés, aproximadamente 46 metros de altura. O lançamento, por meio de pressão, dura sete segundos e a própria inércia se encarrega de espalhar o líquido sobre o fogo, por uma linha de 500 metros. Após despejar a água, a aeronave retorna para Porto Velho, ponto de apoio, onde recebe um novo carregamento.

A 17ª Base Logística presta apoio ao realizar o reabastecimento de água para as aeronaves C-130. Para isso, são empregadas duas Viaturas de Transporte Especializado Cisterna de Água (VTE CTA). Cada caminhão tem capacidade para de 12 mil litros.

Força Nacional – No início da tarde deste domingo (25), 30 bombeiros da Força Nacional chegaram a Porto Velho para auxiliar nas ações de combate às queimadas. De acordo com o bombeiro militar Tenente Coronel Vandernilson Peres, a equipe vai trabalhar de forma integrada com o Exército, os órgãos estaduais e federais. “Esse pessoal esteve em Brumadinho e Moçambique, então são experientes na área. Além dos cursos voltados para desastres urbanos, temos especialistas em combate a incêndio florestal. Temos data para chegar, mas não para voltar. Estamos à disposição para contribuir”, destacou o militar da Força Nacional.

De forma emergencial, o Ministério da Economia descontingenciou R$ 38,5 milhões para que o Ministério da Defesa dê continuidade às ações na região da Amazônia Legal.

Foto: Alexandre Manfrim/MD




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *