19 de setembro de 2019
  • :
  • :

ACM Neto anuncia a realização da Bienal do Livro de 2020 em Salvador

ACM Neto anuncia a realização da Bienal do Livro de 2020 em Salvador

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), usou as redes sociais nesta terça-feira para anunciar a realização da Bienal do Livro de 2020 no novo Centro de Convenções de Salvador. O anúncio foi feito tendo como “gancho” a assinatura do contrato de concessão do novo equipamento com a empresa francesa G.L. Events.

“Já temos um grande evento confirmado para acontecer no Centro de Convenções de Salvador: a Bienal do Livro 2020. Somos a cidade da diversidade. Aqui é proibido censurar”, escreveu Neto, em referência indireta à polêmica ação da Prefeitura do Rio de Janeiro na Bienal do Livro deste ano, que tentou recolher exemplares de uma publicação considerada imprópria para menores de 18 anos.

“Tenho certeza que a Bahia de Gregório de Matos, João Ubaldo Ribeiro, Jorge Amado, Myrian Fraga e de tantos outros talentos literários vai ficar orgulhosa em receber esse evento que está fora do nosso calendário cultural desde 2013”, completou.

Críticas – Durante entrevista coletiva, ACM Neto disse que não é papel da prefeitura impedir que qualquer tipo de publicação seja feita em um evento desse tipo. Ele classificou ainda a ação da Prefeitura do Rio de Janeiro de “equivocada”.

“Eu diria que nós aproveitamos uma oportunidade que não poderia ser desperdiçada. Houve toda essa polêmica envolvendo a cidade do Rio de Janeiro que eu, particularmente, como gestor público, como prefeito, acho que agiu de uma maneira equivocada. Quando nós enxergamos essa oportunidade, então de imediato, ativamos os organizadores da Bienal e colocamos Salvador como decidida a sediar o evento no próximo ano. Fechamos o que seria a participação da Prefeitura (de Salvador) e está confirmado e garantido, portanto, a Bienal 2020 aqui em Salvador e tenho certeza que vai ser um dos grandes eventos do próximo Centro de Convenções. E vai acontecer do jeito do povo baiano: sem nenhum tipo de censura ou restrição à produção literária”, comemorou.

Foto: Max Haack/Secom-PMS




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *