22 de novembro de 2019
  • :
  • :

Senai-Cimatec da Bahia ganha supercomputador de R$ 27 milhões

Senai-Cimatec da Bahia ganha supercomputador de R$ 27 milhões

Fruto de um investimento de R$ 27 milhões, o centro de formação profissional Senai-Cimatec, em Salvador, inaugurou nesta quinta-feira (24), um supercomputador, com capacidade de processamento de dados de 800 teraflops, o que implica 800 trilhões de operações de ponto flutuante por segundo.

A nova máquina, batizada de Airis (Artificial Intelligence RSB Integrated System), é fruto de uma parceria entre a instituição – que integra o Sistema S gerido pela Federação das Indústrias da Bahia (Fieb) – e a Repsol Sinopec Brasil, empresa de energia e mobilidade presente em mais de 50 países e uma das pioneiras na exploração de pré-sal.

O equipamento foi instalado no Centro de Supercomputação do Senai-Cimatec, no bairro de Piatã. A unidade é considerada um dos maiores centros tecnológicos do País voltados para a inovação industrial.

A expectativa é que, com o Airis, sejam aprimorados o tratamento de big data, o uso de algoritmos complexos, além de processamentos de alto desempenho e simulações de alta fidelidade. São capacidades consideradas fundamentais, por exemplo, para o processo de digitalização pelo qual a indústria de óleo e gás vem passando.

“Um dos objetivos da instalação do Airis é permitir solucionar problemas complexos com significativa redução de tempo de processamento, acelerando a tomada de decisões, reduzindo custos e contribuindo para tornar as operações mais seguras”, afirma Mariano Ferrari, CEO da Repsol Sinopec Brasil.

“Em operações complexas como as que temos no pré-sal brasileiro, essa imensa capacidade de processamento é de fundamental importância. Permitirá que sejam geradas imagens sísmicas cada vez com melhor qualidade. É um grande avanço na área de P&D”, explica Ferrari.

Pesquisa – O Centro de Supercomputação para Inovação Industrial do Senai-Cimatec tem parcerias com companhias de outros setores, além de óleo e gás, e com diversas instituições de pesquisa.

“Só com um supercomputador, como o Airis, é possível executar modelagens computacionais complexas. Prioritariamente, está destinado ao setor de petróleo e gás, mas não está restrito à área. Diversos outros segmentos estratégicos podem se beneficiar do processamento do Airis, como energias renováveis e biotecnologia”, diz o gerente do centro de computação do Senai-Cimatec, Adhvan Furtado, ressaltando a aplicação ainda na área de inteligência artificial.

Foto: Divulgação




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *