14 de dezembro de 2019
  • :
  • :

Bahia e Hemoba lançam campanha em parceria para estimular doação de sangue

Bahia e Hemoba lançam campanha em parceria para estimular doação de sangue

Com o intuito de informar e sensibilizar a população sobre a necessidade de doar sangue e medula óssea, a Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba) comemorou nesta segunda-feria (25), Dia Nacional do Doador de Sangue lançando a campanha “Esquadrão Hemoba – Faço parte do Time da Doação”. A campanha, presente em todos os municípios da Bahia, servirá para abastecer os estoques de sangue visando as festas de fim de ano.

Este mês, em parceria com Esporte Clube Bahia, o Hemoba vai contar, até o dia 30, com atividades especiais como atrações culturais, visita de jogadores, animadoras de torcida e dos mascotes do Bahia em homenagem aos doadores. Além disso, a iniciativa terá coletas externas e horários diferenciados. Segundo o diretor geral do Hemoba, Fernando Araújo, é preciso chamar a atenção das pessoas para o assunto, pois “cada doação pode salvar mais de quatro vidas”.

Fernando Araújo também ressaltou que a Fundação trabalha sobre quatro pilares: Hematologia, Hemoterapia, Ensino e Pesquisa e que, através de convênios com hospitais e prefeituras, atende a todas as regiões do estado e a pessoas de toda a faixa etária. Segundo Araújo, doar sangue é salvar vidas, e o processo de doação é muito simples, bastando ao candidato ter entre 16 e 69 anos, estar em boa saúde, e pesar no mínimo 50 quilos.

De acordo com o Hemoba, entre 01 de janeiro e 24 de novembro de 2019 foram cadastrados cerca de 140 mil candidatos para doação e coletadas aproximadamente 106 mil bolsas de sangue para serem distribuídas entre hospitais e centros de saúde. Esse número, no entanto, não é suficiente para cobrir a demanda. Além de ser distribuído por todo o estado, o sangue coletado tem prazo de validade.

Conforme expôs a coordenadora da produção de hemocomponentes do Hemoba, Rose Machado, depois de ser coletado, o sangue total segue para o processamento, repouso, pesagem e separação dos componentes que serão utilizados nos hospitais (concentrado de hemácias, concentrado de plaquetas, concentrado de plasma, e crio) e, daí, para o processo final de identificação do tipo sanguíneo e conservação até que haja a transfusão.

“Cada um desses componentes tem prazo de validade. As hemácias, por exemplo, duram entre 35 e 42 dias; as plaquetas duram apenas 5 dias; e o plasma dura de um a dois anos. Por isso, é necessário sempre reabastecer o estoque para que o sangue não venha a faltar”, frisou.

Doando sangue pela primeira vez, a trabalhadora autônoma Hosana Barreto, 48 anos, era uma das dezenas de doadores que visitaram o Hemoba na tarde de ontem. Segundo ela, a doação de sangue é uma forma simples de fazer o bem. “A gente sabe que há uma carência de doação, talvez por falta do conhecimento sobre a simplicidade do processo. Mas é importante saber que esse gesto de doação é o mínimo que a gente pode fazer pelo outro, porque doar sangue é doar vida”, concluiu.

Foto: Divulgação/E.C.Bahia




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *