24 de fevereiro de 2020
  • :
  • :

Salvador ganha Caps III com atendimento 24 horas

Salvador ganha Caps III com atendimento 24 horas

Salvador ganhou, nesta terça-feira (17), o primeiro Centro de Atenção Psicossocial (Caps) do tipo III, que terá funcionamento 24 horas na Rua Pedro Silva Ribeiro, em Armação. A inauguração da estrutura foi realizada em cerimônia que reuniu o prefeito ACM Neto e o governador Rui Costa, secretários municipal e estadual de saúde, respectivamente Léo Prates e Fábio Vilas-Boas, demais autoridades e imprensa.

Construído pelo governo do Estado, por meio do Programa de Fortalecimento do SUS, o equipamento, que ficará sob a gestão da Prefeitura, é uma unidade de saúde mental especializada no tratamento e reinserção social de pessoas com transtornos graves e persistentes. O novo serviço será implantado em etapas. Num primeiro momento, funcionará das 7h às 19h, de segunda a sexta-feira; a partir de fevereiro, o atendimento será ampliado para os sábados, domingos e feriados; e, a partir de março, atuará com capacidade máxima de forma ininterrupta, em regime 24 horas.

De acordo com o prefeito, a cidade ainda possui uma necessidade de expansão da rede de atendimento psicossocial em Salvador tanto para as pessoas que precisam de acompanhamento clínico permanente, quanto para o usuário de álcool e drogas. “A implantação dessa unidade, assim como a expansão de toda a rede psicossocial, vai acontecer gradativa e progressivamente para que a Prefeitura possa, a cada dia, ampliar a atenção a essas pessoas que necessitam de cuidados especiais, principalmente médicos, por parte do poder público. Essa é uma estrutura bem mais moderna, que vai dar um atendimento de alta qualidade à população”, afirmou ACM Neto.

No total, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) disponibilizará, no equipamento, cerca de 50 profissionais entre psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, técnicos de enfermagem, terapeutas ocupacionais, educadores físicos e farmacêuticos. Serão feitos no Caps III 30 mil procedimentos por mês. O investimento anual do município para manutenção do centro será de, aproximadamente, R$10 milhões.

A unidade vai oferecer atendimentos individuais, visitas domiciliares, oficinas e grupos terapêuticos, bem como a entrega de medicamentos. Além disso, o serviço possui oito leitos para acolher pessoas que, por conta de sua situação de saúde, precisem de observação, tanto no período diurno quanto noturno.

Demais estruturas – Além do Caps III, mais estruturas de saúde em construção pelo governo estadual deverão ser gerenciadas pela Prefeitura. Uma delas é um outro Caps III, no bairro de Pau da Lima. As outras são Unidades Básicas de Saúde (UBS) localizadas em Itapuã, IAPI, Cajazeiras, Imbuí, San Martin e Pirajá.

“É importante para a cidade que essa parceria aconteça. Sempre fui defensor de que governo e prefeitura pudessem trabalhar juntos, pensando no melhor interesse para a cidade e o cidadão. Espero que essa relação possa se estender para outras áreas, no sentido de que Salvador continue ganhando com os investimentos que façamos juntos”, salientou ACM Neto.

O governador destacou que a ação é faz parte de uma estratégia de fortalecimento de parceria com os municípios para expandir a atenção básica de saúde e, assim, desafogar as unidades de urgência e emergência.

“Esses centros de atenção visam fazer o acompanhamento sistemático das pessoas que tenham algum distúrbio e, em casos agudos de crise, permanecer aqui alguns dias. Para o bem da população, Salvador não pode estar subordinado a algum conflito político-partidário, então é importante e nos alegra a concretização dessa parceria com a Prefeitura”, declarou Rui Costa.

Rede assistencial municipal – A Rede de Atenção Psicossocial (saúde mental) em Salvador é composta por Centros de Atenção Psicossocial (Caps), ambulatórios especializados em Saúde Mental, Pronto Atendimento Psiquiátrico (PAP), Unidade de Acolhimento e Serviços Residenciais Terapêuticos. As estruturas possuem equipes multidisciplinares formadas por psiquiatras, farmacêuticos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, educadores físicos, redutores de danos, técnicos de enfermagem, oficineiros e cuidadores prestam assistência ampliada aos portadores de transtornos mentais e pessoas que fazem uso abusivo/dependente de substâncias psicoativas.

Deste modo, a rede especializada é composta por 14 Caps II, que atendem pessoas com transtornos mentais graves e persistentes e/ou com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas. Outros dois Caps infantis atendem crianças e adolescentes com transtornos mentais graves e persistentes. Além disso, um Caps Álcool e outras Drogas (AD) é voltado para adultos com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas. As três estruturas funcionam das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira, com acolhimento diário e demanda aberta.

Compõem também a Rede Especializada de Cuidados em Saúde Mental mais dois Caps, sendo um estadual e outro contratualizado, e três Ambulatórios Especializados em Saúde Mental que funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, com demanda aberta para atendimento de pessoas com transtornos mentais leves e moderados.

A Unidade de Acolhimento Casa da Ladeira, em Nazaré, também compõe a Rede de Atenção Psicossocial. É um ponto de atenção que oferece cuidados contínuos de saúde em ambiente residencial, com funcionamento 24 horas e dez vagas para o público infanto-juvenil (de 12 a 18 anos incompletos) com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, de ambos os sexos, que apresentem acentuada vulnerabilidade social e/ou familiar e demandem acompanhamento terapêutico e protetivo de caráter transitório. O tempo de permanência na unidade de acolhimento é de até seis meses.

As situações de urgência psiquiátrica são atendidas no Pronto Atendimento Psiquiátrico (PAP) onde o paciente pode permanecer em regime de observação até 72h, sendo posteriormente encaminhado ao CAPS do território onde reside, para continuidade de cuidado. Os Serviços Residenciais Terapêuticos são moradias inseridas em comunidades dos bairros de Salvador vinculadas ao Caps deste território, destinadas a acolher pessoas egressas de internação de longa permanência (dois anos ou mais, ininterruptos), egressas de hospitais psiquiátricos e hospitais de custódia, entre outros.

Já os casos de urgência/emergência, que são os quadros de intoxicação por qualquer tipo de substância psicoativa e síndrome de abstinência, nas quais as variações clínicas são prioritárias, devem ser tratadas nos prontos-atendimentos ou hospitais.

Foto: Max Haack/SECOM-PMS




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *