20 de setembro de 2020
  • :
  • :

Festival Virada Salvador terá identificação de crianças e adolescentes

Festival Virada Salvador terá identificação de crianças e adolescentes

O Festival Virada Salvador 2020, que acontece de 28 de dezembro até 1º de janeiro na Arena Daniela Mercury, na Boca do Rio, contará com um serviço de proteção às crianças que envolve diversos órgãos da Prefeitura. Os agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) farão abordagens logo na entrada do evento com a distribuição de pulseiras de identificação, que serão preenchidas com o nome dos menores e o número de contato do responsável. Somente na edição da festa do ano passado, foram identificadas cerca de 11 mil crianças.

O coordenador da GCM, André Rocha, destaca que a atenção com os pequenos deve ser redobrada devido ao grande volume de pessoas. “É recomendado que os responsáveis saiam de casa com seus documentos, inclusive os dos menores. É preciso se atentar ao distanciamento dessas crianças, não permitindo que elas se desloquem para outros lugares sozinhas, assim como deixá-las em uma posição que seja capaz de observá-la e evitar qualquer imprevisto. As crianças não se perdem, elas são perdidas”, declara.

A GCM conta com um espaço dentro da arena onde as crianças perdidas ficam resguardadas até que o Conselho Tutelar faça o devido encaminhamento. A estrutura ficará localizada na praça de serviços.

Abordagem e acolhimento – As secretarias de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre) e de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), além do Conselho Tutelar, estarão de plantão durante o evento realizando abordagens a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade. A medida visa garantir o acolhimento quando necessário e o combate ao trabalho infantil.

Os filhos dos ambulantes que vão trabalhar durante o Festival Virada Salvador não ficarão de fora. A SPMJ vai disponibilizar um Centro de Acolhimento, Aprendizado e Convivência para crianças e adolescentes que são filhos de ambulantes, catadores de latinha e demais trabalhadores autônomos do evento. Com capacidade para até 100 crianças, o centro de acolhimento vai ser realizado na Escola Municipal Luiza Mahim, situada na Avenida Simon Bolívar, 471, em Armação, próximo ao antigo Centro de Convenções.

O horário de funcionamento será a partir das 7h do dia 28 de dezembro até as 12h do dia 2 de janeiro. O cuidado aos menores será feito por uma equipe composta por assistentes sociais, psicólogos, pedagogos e educadores sociais, além da equipe de coordenação da SPMJ que vai trabalhar diariamente no local. Também serão realizadas diversas brincadeiras e atividades lúdicas.

Quem quiser deixar a criança no Centro de Acolhimento precisa levar certidão de nascimento ou RG do menor, cartão do SUS e cartão de vacina. O documento exigido do responsável é o RG ou qualquer outro documento oficial de identificação com foto, como carteira de habilitação ou trabalho. Somente no passado, 103 crianças e adolescentes foram acolhidas no mesmo endereço e participaram de brincadeiras diversas, como banho de mangueira, cabo de guerra, estoura-balões, teatro de fantoches, sorteios, concursos de karaokê, de dança e de bambolê.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *