25 de setembro de 2020
  • :
  • :

ACM Neto inaugura primeiro trecho da orla de Amaralina

ACM Neto inaugura primeiro trecho da orla de Amaralina

O prefeito ACM Neto entregou, na manhã desta sexta-feira (7), o primeiro trecho da requalificação da orla de Amaralina, que tem cerca de um quilômetro de extensão, desde o quartel de Amaralina até o Largo das Baianas. O investimento foi de R$17,6 milhões. Já o total da revitalização da orla da Pituba é de R$ 38,8 milhões, tudo com financiamento do Corporação Andina de Fomento (CAF). Ou seja, não há verba municipal envolvida. A segunda e última etapa, que vai do Largo das Baianas até a Vila Jardim dos Namorados, será concluída até outubro. Este é o 24º trecho da orla de Salvador que é requalificado.

Antes de começar a coletiva, o prefeito reclamou e pediu que a aglomeração se dispersasse, ou não entregaria a obra. Estavam ali mais de 100 pessoas, entre moradores do Nordeste, baianas de acarajé, pescadores e mestres de capoeira, além da equipe da Prefeitura. “Não estamos fazendo inauguração. Agradeço quem veio ver a entrega mas peço que evitem qualquer tipo de aglomeração e é por isso que a prefeitura não está fazendo a inauguração, estamos só entregando as obras e estamos comprometidos em assegurar que as medidas de proteção à vida para todos. Peço, por favor, que não se aglomerem. A população tem o direito de sair de casa e a vontade de ver de perto, principalmente os moradores do Nordeste de Amaralina, mas a saúde pública em primeiro lugar”, reclamou o prefeito.

Com a entrega do Largo, Acm Neto ressaltou a importância das baianas de carajé para a cidade. “Nossas baianas são o símbolo mais marcante da nossa história e das nossas tradições. Não posso esconder a minha emoção com a requalificado da orla de Amaralina e quero agradecer a toda minha equipe que trabalhou nessa obra nesses últimos meses”, agradeceu Neto, ao mencionar as baianas de acarajé que estavam no evento, principalmente à presidente da Associação das Baianas de Acarajé e de Mingau (Abam), Rita Santos.

A coordenação do projeto, que integra o Programa de Requalificação Urbanística (Proquali), foi mais uma vez da Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF). O principal objetivo é promover mais paisagismo e valorizar a região. Dentre as mudanças, foram instalados acessos à praia – que ainda não podem ser usadas – em todas as paradas de ônibus, além de rampas, escadas e pérgula. Também houve implantação de guarda-corpo e muretas, além de semáforos inteligentes e iluminação em LED.

O que mudou – Por pedido dos moradores do bairro do Nordeste de Amaralina, a Praça João Amaral ganhou uma quadra poliesportiva, parque infantil, quiosques de coco e acarajé, equipamentos de ginástica e paraciclo. Além disso, a Prefeitura construiu a primeira Colônia de Pescadores de Amaralina, que possui 87 metros quadrados. A estrutura dará suporte a 20 pescadores que atuam na região.

A outra praça contemplada é a Praça do Budião, que recebeu um tratamento com plataforma única. Isto é, não há mais desnível entre passeio e meio-fio – que dificultava o assoreamento – e o revestimento do piso do espaço conta com blocos de concreto intertravado, que valoriza o espaço para pedestres e circulação de pessoas.

Com a intenção de devolver ao Largo das Baianas a importância turística e histórica, a Prefeitura instalou uma escultura em homenagem a essas quituteiras, símbolos do estado. A estátua foi idealizada pelo artista baiano Bel Borba mede quatro metros de altura e pesa de 16 toneladas. O largo tem ainda piso em pedra portuguesa nas cores vermelha, branca e preta e quiosque em madeira com acomodação para dez baianas de acarajé, além de espaço para roda de capoeira. No local, também foram implantados parque infantil, equipamentos para academia de ginástica e quiosque para a comercialização de coco.

Requalificações da orla – O prefeito lembrou de todas as mudanças que já fez na região litorânea na cidade durante sua gestão. “Como é que uma cidade litorânea, que está vocacionada ao turismo de sol e praia poderia ter uma orla tão mal cuidada como a nossa? Essa era a realidade de 2013. Mas nós qualificamos 24 trechos de orla na capital. Começamos pelo porto da Barra, subimos em Ondina, chegamos no Rio Vermelho. Depois fizemos todo aquele trecho que começa na Arena Aquática, seguindo para o Jjardim de Alá e caminhando pela Boca do Rio. Além de Itapuã, Piatã. Os moradores de Salvador sabem que não ficamos só nos bairros mais nobres e centrais. Fomos para o subúrbio, requalificar as orlas de São Tomé de Paripe, Tubarão, e fomos também para a Cidade Baixa”, lembrou o prefeito.

Foto: Max Haack/Secom-PMS




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *