29 de outubro de 2020
  • :
  • :

Delfin Gonzalez vai lançar 2º livro de contos inspirado no interior da Bahia

Delfin Gonzalez vai lançar 2º livro de contos inspirado no interior da Bahia

Uma vida ordeira e simples. Momentos na fazenda, amigos de diversos estilos e pensamentos, lugares e moradores da pequena cidade de Custipiu. Em mais de 40 contos e causos, o médico baiano Delfin Gonzalez Miranda vai lançar na próxima sexta-feira (09/10), às 17h30, o livro “Histórias que a vida conta 2”, fazendo o leitor se sentir nestes diversos momentos que o livro expõe e fazendo-o rir com os diálogos apresentados.

Devido à pandemia, o lançamento será feito via Youtube, com a exibição de uma entrevista dada pelo autor, produzida pela Flamboyant Filmes, para o apresentador e menino do interior Matheus Boa Sorte. A gravação foi feita em setembro, na fazenda Caboquinha, de Dr. Delfin, em Piritiba (BA).

“Nasci em Salvador, mas com um ano e meio de idade fui morar no interior e logo uns vizinhos que não tinham filhos me adotaram. Estudava para ficar de férias mais cedo e poder ir para a roça. Aos quatro anos, adotei Miguel Calmon como minha terra. Então minha ligação com a vida interiorana é muito forte, me sinto bem, tenho muitos amigos e isso me proporciona diversas memórias. Sempre gostei de escrever e, aos 10 anos, fiz meus primeiros contos”, revela o autor do livro.

O delegado da cidade, o rezador, a freira, a cavalgada, as histórias inventadas para o amigo que acredita em tudo, o pequeno cinema, o único repórter, auto-falante como meio de comunicação na cidade, os bêbados, a lanchonete, as negociações entre os moradores, o barbeiro viajante e contador de vantagens, a falta de luz elétrica e cadeiras e conversas nas portas de casa são cenários, memórias e pessoas que envolvem todos os contos e causos.

Custipiu é a junção de Miguel Calmon, Mairi e Pojuca, cidades no interior da Bahia, lugares por onde o autor passou e construiu verdadeiros amigos. “As histórias dos meus livros são inspiradas nessas pessoas desses lugares, algumas imaginárias, mas quase todas são reais e os personagens sabem quem são. Já teve casos de pessoas lerem e saberem quem era quem na história”, sorri.

Com uma linguagem informal e diálogos que prendem a atenção, passando a sensação de que o leitor está presente e invisível acompanhando os relatos, o livro tem humor, assim como o próprio autor se auto define: “Vive intensamente quem sorri, quem não tem medo de ser feliz. Por isso, me arrisco a escrever. Eu sou uma pessoa informal e gosto do mundo pitoresco, prezo para que o leitor se envolva no que está lendo. Escrevo como se estivesse falando com meus pacientes, amigos e família, não tem distinção da realidade e acredito que minhas histórias fazem o momento se tornar mais leve, saindo da rotina desgastante”, enfatiza.

Vocação – Médico por formação e empresário como consequência, como se define profissionalmente, Dr. Delfin teve conquistas que em um conto só não dá pra narrar, mas aqui tenta-se resumir. Foi responsável pela instalação do serviço de ultrassonografia no Hospital Sagrada Família, no bairro do Bonfim, em 1979. No ano seguinte, abriu seu próprio centro, a Clínica Delfin de Imagem, que logo tornou-se o maior serviço de imagem do Nordeste e o quinto maior do Brasil. Em 2007, iniciou a expansão pelo interior da Bahia, depois foi para Natal (RN), envolveu-se em gestão hospitalar e até assumiu o comando do atual Hospital Rio Grande, o maior do estado de Rio Grande do Norte e um dos três maiores do Nordeste.

Em 2013, vendeu parte dos serviços de imagem, dedicando-se, na Bahia, ao Grupo Delfin Saúde, onde possui atendimentos de Radioterapia, Medicina Nuclear e investe na produção e desenvolvimento de biomarcadores, tecnologia que auxilia no diagnóstico precoce de patologias, entre elas o câncer e o Alzheimer. Mesmo acometido pela doença de Parkinson, aos 68 anos – mais de 40 destes exercendo a medicina -, com duas filhas e quatro netos, não pretende parar. Até quando está na fazenda, segue matutando projetos e sonhos.

Solidariedade – “Uma mão lava a outra, duas mãos juntas se enxugam e várias mãos se movimentando fazem um projeto acontecer: isto se chama SOLIDARIEDADE”. Essa frase escrita por Delfin Gonzalez está no último capítulo do livro Histórias que a vida conta 2. E é com esta ideia que todo o lucro da venda será doado para o asilo Abrigo São Vicente de Paulo, instituição filantrópica existente em Miguel Calmon que dá assistência aos Idosos da região e que o médico e escritor ajuda há vários anos. “Acredito que todos podem ter uma participação comunitária, contribuir com a sociedade. Esta instituição já existe há mais de 70 anos e sempre ajudou os idosos assistidos”, explica.

O livro Histórias que a vida conta 2 tem 140 páginas e pode ser adquirido pelo site http://www.historiasqueavidaconta.com/ por R$ 54,90. O frete é grátis para todo o território brasileiro.

Foto: Divulgação




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *