15 de janeiro de 2021
  • :
  • :

Série A: Fora de casa, Bahia encara o Grêmio nesta quarta

Série A: Fora de casa, Bahia encara o Grêmio nesta quarta

Neste início de 2021, o Esquadrão lança suas últimas cartadas para tentar sobreviver na Série A e dar início ao planejamento para a próxima temporada. A principal delas é o próprio Dado – o Cavalcanti. Ele, teoricamente, coordenaria a base e treinaria o time de transição, mas terá nesta quarta-feira, 6, seu segundo desafio à frente do grupo principal: o Grêmio, atual 5º colocado do Brasileirão, em Porto Alegre.

Com sete derrotas consecutivas no campeonato, as noites, dias e até as madrugadas do Tricolor têm sido mais de frio do que de calor. O clube ocupa a 16ª colocação e tem os mesmos 28 pontos do Vasco, que abre a zona do rebaixamento. O Cruzmaltino tem um jogo a menos, contra o Palmeiras, no Allianz Parque.

Diferentemente da estreia – a derrota por 2 a 1 para o Internacional, na Fonte Nova – Dado Cavalcanti desta vez teve tempo para trabalhar. Foram 10 dias, ao todo, que, segundo o treinador, permitiram fazer algumas mudanças no time titular, além dos desfalques já previstos. Gregore e Juninho estão suspensos, e Juninho Capixaba não pode atuar pois pertence ao Grêmio.

“Tomei a decisão de mudar em outras posições, por pensar que a evolução da equipe também passa por isso, por dar uma oxigenação maior nos jogadores que vêm jogando, mexer um pouco nesse caldeirão. Buscar soluções dentro do nosso grupo, até porque estamos em fase final de campeonato, ninguém mais vai chegar”, afirmou Dado, em entrevista coletiva.

Além disso, o comandante também proporcionou a vinda de dois jogadores da base: os atacantes Thiago, que foi o artilheiro do time na Copa do Brasil sub-20, e Marcelo.

“Já tinha a necessidade e o meu interesse de tê-los comigo há mais tempo. Tomei o cuidado para não desfalcar o sub-20. Foi inevitável a vinda de Thiago antes, por entender que ele vai trazer uma perspectiva diferente para a nossa equipe. É um jogador de fundo de campo, de velocidade, de muita agressividade, que às vezes nos falta em alguns jogos. Marcelo talvez passe por uma adaptação maior, porque é mais jovem. Jogou menos, tem menos experiência”, relatou o treinador.

Foto: Felipe Oliveira/E.C.Bahia




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *