16 de janeiro de 2021
  • :
  • :

“O crime não terá trégua no nosso estado”, diz novo comandante-geral da PM-BA

“O crime não terá trégua no nosso estado”, diz novo comandante-geral da PM-BA

Cercado por integrantes do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do qual foi fundador, o coronel Paulo José Reis de Azevedo Coutinho foi preciso como um atirador de elite ao falar das facções que atuam na Bahia, durante a cerimônia de sua posse no cargo de comandante-geral da Polícia Militar da Bahia. “O crime não terá trégua no nosso estado”, garantiu. A solenidade aconteceu na manhã desta quarta-feira (13), na Vila Policial Militar do Bonfim.

O novo comandante-geral da PM entrou na corporação em 1988 como aspirante e assumiu várias posições de destaque na corporação, entre elas de fundador e comandante do Bope, unidade de elite da PM criada em 2014, para as missões de cumprimento de mandados de prisões de alta periculosidade, atendimento antibombas, além de contar com equipe de atiradores de elite, negociação e gerenciamento de crises.

“Estou sendo surpreendido por esta tropa que tive o prazer de fundar há seis anos. Isso denota a nossa ligação com essa atividade, com o objetivo de dizer bem claro: estaremos fortalecidos, juntos para combater o crime em nosso estado”, declarou ele, que assume o cargo deixado pelo coronel Anselmo Brandão.

O novo comandante falou também como pretende atuar no combate aos crimes contra as instituições financeiras. “A Bahia é um estado de dimensão continentais. Nós temos planos estratégicos setoriais, com o objetivo de fazer frente a isso. E temos avançado muito nos últimos anos, com redução de crimes desta natureza. É sem dúvida um grande desafio”

Ele falou ainda sobre como pretende minimizar o número de ocorrências de roubos em coletivos que, em algumas situações, resultam em violência contra os passageiros. A alternativa sugerida é aumentar o policiamento de rua. “Com ostensividade maior, usando a inteligência, principalmente focando para essa camada da sociedade que merece uma atenção maior”, declarou.

Governador – A cerimônia de posse contou com a presença do governador do estado Rui Costa, que falou sobre a criminalidade no estado. “Aqui, o estado tem o comando. E não quero valorizar ou destacar a sigla de criminosos. Aqui a lei reina e a força do estado sempre estará em primeiro lugar. E todos os episódios que vocês viram, mesmo aqueles covardes, de tirar vida de pessoas inocentes, na tentativa de matar alguém com quem disputava o comércio de droga, foram elucidados”, declarou o govenador, fazendo referência as identificações e prisões de bandidos envolvidos no ataque recente na Praia de Jaguaribe, onde três pessoas morreram – duas delas não tinham nada a ver com a criminalidade.

Ele também destacou o combate ao tráfico de drogas. “No Brasil inteiro, a maior parte dos crimes, homicídios, roubos está vinculada ao tráfico de drogas. Assalto, a carro fortes e a banco, são de traficantes que perderam suas cargas e tem que repor o dinheiro ao fornecedor e vai assaltar para repor. Mesmo quando se avança nas investigações, outros crimes estão sendo estimulados pelo tráfico de drogas”, disse o governador.

Rui Costa comentou ainda sobre a sensação de frustação da corporação em relação a algumas decisões da Justiça. “Precisamos aprofundar a interlocução com o Tribunal de Justiça e o Ministério Público, pois fica sensação de frustração para os policiais. Você prende alguém com a metralhadora, fuzil, escopeta, arma ponto 50 que derruba helicóptero e em 15 dias o cara está soltou? É uma frustração também para a sociedade. Alguma coisa não está funcionando bem. Precisamos ver o que está acontecendo. Somos nós que não estamos mandando material com provas suficientes? Alguma coisa não está funcionando bem”, avaliou.

Família – A cerimônia de posse começou por volta das 10h. Na passagem do comando da corporação, o ex-comandante da PM, coronel Anselmo Brandão lembrou sua trajetória em 1978 quando, quando saiu de Juazeiro e veio para Salvador. “Consegui implementar tudo aquilo que planejei e procurei ser um protetor”, disse ele.

O coronel Anselmo Brandão, que passou seis anos à frente da corporação, chorou no final de seu discurso ao falar da família. Na solenidade estavam também presentes o secretário de Segurança Pública (SSP), Ricardo César Mandarino, o subsecretário da pasta, o delegado Hélio Jorge, a delegada-geral da Polícia Civil, Heloísa Brito e outras autoridades..

Trajetória – Aspirante a oficial PM da turma 1988, o coronel Paulo José Reis de Azevedo Coutinho é bacharel em Segurança Pública pela Academia de Polícia Militar da Bahia (APM) é bacharel em Direito pela Universidade Católica do Salvador, pós-graduado em Gestão Governamental pela Universidade do Estado da Bahia, especialista em Gestão Estratégica pela APM e especialista em Segurança Pública pela Polícia Militar de Goiás.

Durante trajetória profissional, o coronel Coutinho assumiu diversas funções de destaque na corporação, dentre elas: oficial de Guerra Química do Batalhão de Choque, comandante do 3º Pelotão da Companhia de Ronda Tática Móvel (ROTAMO); subcomandante da Companhia de Operações Especiais; subcomandante do Esquadrão de Motociclistas Águia, subcomandante do 14º BPM/SAJ; chefe da Unidade de Planejamento Operacional do 1º GBM; comandante do Corpo de Alunos do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças da PMBA (CFAP); Assistente Militar do vice-governador; comandante do Esquadrão de Motociclistas Águia; comandante do Batalhão de Polícia de Choque; fundador e comandante do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), diretor de Ensino do CFAP e, por último, comandante do Policiamento Regional da Capital Central (CPRCC).

Fonte: Secom/GOVBA




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *