26 de outubro de 2021
  • :
  • :

Pioneiro do Cinema Novo, Rex Schindler morre aos 99 anos

Pioneiro do Cinema Novo, Rex Schindler morre aos 99 anos

Morreu aos 99 anos, na madrugada desta segunda-feira (20), o produtor, diretor, roteirista e argumentista, Rex Schindler. O cineasta, considerado uma das figuras mais importantes para o cinema brasileiro e um dos pioneiros no Cinema Novo, sofreu uma falência múltipla dos órgãos. Ele foi enterrado por volta das 15h no cemitério Jardim da Saudade, no bairro de Brotas, em Salvador.

A carreira do cineasta está inscrita no rol de grandes nomes famosos no estado pela ascensão na sétima arte. Assim como Glauber Rocha, Roberto Pires, Braga Neto e Oscar Santana, o baiano também foi um ativista no Movimento do Cinema Novo.

Entre as suas produções mais conhecidas estão os longas “A Grande Feira” e “Tocaia no Asfalto” (1962), um verdadeiro filme western ambientado na Bahia, clássico do Cinema Novo. Já no documentário “Bahia, Por Exemplo” (1969), sua direção é uma celebração da cultura dos anos 60, com o depoimento de grandes representantes da música, da arte e da literatura, como Gal Costa, Jorge Amado e Carybé.

Além disso, ele foi responsável pela produção do primeiro longa-metragem dirigido por Glauber Rocha, “Barravento” (1962) e colaborou em “Redenção” (1958), o primeiro longa-metragem produzido na Bahia.

Filho de pai alemão – Sigismund Schindler -, e de mãe baiana – Erudina Alves dos Santos – Rex nasceu na cidade baiana de Parafuso, em 1922. Ele chegou a se formar em medicina, mas sua paixão mesmo foi o cinema. O produtor deixa cinco filhos, quatro netos, 18 bisnetos e dois tetranetos. Ao longo da vida, também publicou uma série de livros.

Repercussão – Fãs e órgãos dentro e fora da Bahia lamentaram a morte de Rex. Em nota, a Associação Bahiana de Imprensa (ABI) destacou a importância dele para o cinema brasileiro.

“A Bahia perde um dos pioneiros do cinema baiano em produção de longa metragem, um produtor de cinema, diretor. Está de luto o cinema brasileiro em si, Rex vem desde o primeiro filme de Luíz Paulino, com [a direção de] Glauber Rocha, Barravento”, recordou, em nota, Roque Araújo, ex-parceiro de Rex e Glauber e diretor do Instituto Roque Araújo de Audiovisual.

A Secretaria da Cultura do Estado da Bahia (Secult) afirmou que Rex “teve papel fundamental para a sétima arte na Bahia”. Nas redes sociais, internautas e profissionais do cinema também repercutiram a morte no cineasta.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *