24 de outubro de 2021
  • :
  • :

MRV apoia Congresso Brasileiro de Metodologias Ativas na Educação Básica

MRV apoia Congresso Brasileiro de Metodologias Ativas na Educação Básica

Robótica, aprendizagem baseada em problemas ou em projetos, cultura maker, design thinking… Essas são algumas das metodologias utilizadas por professores para possibilitar que os estudantes sejam protagonistas de seu próprio aprendizado. Embora elas não sejam novidade na Educação, a busca pelas Metodologias Ativas de Aprendizagem se intensificou com o ensino remoto na pandemia. E, agora, com a retomada gradual das aulas presenciais, combinada com o formato híbrido (de aprendizagem dentro e fora da sala de aula), essas estratégias serão ainda mais relevantes.

Nesse contexto, será realizado o Educação Ativa – 1º Congresso Brasileiro de Metodologias Ativas na Educação Básica. O evento, que acontecerá entre os dias 9 e 12 de outubro de forma virtual, terá a participação de alguns dos maiores especialistas brasileiros e estrangeiros em conferências, mesas-redondas, debates sobre experiências de educadores brasileiros em sala de aula e oficinas práticas.

O congresso foi pensado especialmente para professores e demais profissionais da educação básica, com o objetivo de compartilhar conhecimento e inspirar educadores brasileiros a trabalhar as Metodologias Ativas de Aprendizagem nas diversas áreas de conhecimento, como humanidades, linguagens, ciências, matemáticas e artes.

Alguns dos convidados confirmados são William Bender (University of North Carolina), Lynn Barendsen (Escola de Educação de Harvard) e Samson Tan (Instituto Nacional de Educação de Cingapura). Dentre os especialistas nacionais figuram nomes como Lilian Bacich (Tríade Educacional), os professores da USP Roseli de Deus Lopes, Nilson Machado, Luiz Carlos de Menezes e Ulisses Araújo; o professor finalista do Global Teacher Prize de 2021, Greiton Toledo de Azevedo, o professor “edutuber” Julio Cesar Passos e outras dezenas de nomes de peso no campo das metodologias ativas de aprendizagem.

O evento é uma iniciativa do Núcleo de Pesquisas em Novas Arquiteturas Pedagógicas da Universidade de São Paulo (NAP/USP), da PANPBL – Association of Problem-Based Learning and Active Learning Methodologies, e do Instituto iungo, organização que promove o desenvolvimento profissional de educadores. A iniciativa tem patrocínio do Instituto MRV.

Educadores da rede pública podem se inscrever gratuitamente nas conferências, mesas redondas e debates sobre relatos de professores a partir de experiências com metodologias ativas. Profissionais de escolas privadas e ONGs contam com preços especiais. Todos recebem certificado do NAP/USP. Além disso, os participantes das oficinas imersivas, que são pagas, ganham um ano de filiação à PANPBL, com acesso a conteúdos exclusivos para aprimorar ainda mais seus conhecimentos em Metodologias Ativas.

De acordo com Ulisses Araújo, Coordenador Científico do NAP/USP e Presidente da PANPBL – Association of Problem-Based Learning and Active Learning Methodologies; existe um razoável consenso entre educadores em todo o mundo sobre a necessidade de mudarmos o eixo do processo de ensino-aprendizagem, hoje centrado no ensino, para focar na aprendizagem e no protagonismo dos estudantes.

“Este é o objetivo das metodologias ativas de aprendizagem, que vêm sendo adotadas pelos principais sistemas educativos de todo o mundo como a essência da educação para o século XXI. Elas têm o potencial de promover competências como criatividade, resolução de problemas, comunicação e trabalho colaborativo, além de princípios, como os da excelência, da ética e do engajamento na educação. O Congresso Educação Ativa vai trazer essas temáticas para o centro do debate no Brasil.”, diz

Segundo Paulo Emílio Andrade, do comitê executivo do congresso e Diretor de Educação do Instituto iungo, é muito necessário debatermos a educação no país, principalmente em tempos de pandemia, que evidenciou ainda mais a relevância da escola. Diante disso, as metodologias ativas são um grande aliado dos educadores por promover a aprendizagem a partir de situações-problema que permeiam o contexto dos estudantes e por contribuir com o seu desenvolvimento integral.

“A proposta do congresso visa possibilitar aos participantes experiências transformadoras durante o encontro e criar uma rede permanente de educadores que compartilhem estratégias educacionais ativas e conectadas com a realidade atual da educação. Também pretendemos evidenciar práticas consistentes implementadas pelos educadores brasileiros, nas escolas públicas e privadas do país”, conta Andrade.

Para conhecer a programação completa e fazer a inscrição no Congresso acesse www.educacaoativa.panpbl.org.

Foto: Divulgação




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *