13 de junho de 2024
  • :
  • :

Salvador 475 anos: Prefeitura inicia construção da Arena Esportiva na Boca do Rio

Salvador 475 anos: Prefeitura inicia construção da Arena Esportiva na Boca do Rio

Ainda em comemoração aos seus 475 anos, celebrados em 29 de março, Salvador ganhou nesta segunda-feira (1º) outro grande presente: a construção de um moderno equipamento para sediar eventos esportivos e culturais nacionais e internacionais. O prefeito Bruno Reis assinou a ordem de serviço para início das obras da Arena Esportiva Salvador Governador Antônio Balbino, que ficará localizada na Boca do Rio.

Com investimento de R$163 milhões, o espaço terá capacidade para abrigar mais de 12 mil espectadores e vai devolver a Salvador a condição de atrair grandes eventos. Desde que o ginásio Balbininho foi demolido em 2010, para a construção da Arena Fonte Nova, a capital baiana não conta com um equipamento de grande porte com essa finalidade. A obra da nova arena está prevista para ser concluída em dois anos.

“Esta manhã jamais sairá da memória de Salvador. Estamos resgatando um equipamento importante, que foi demolido em 2010. Portanto, há quase 15 anos que a cidade não tem uma grande arena. Vocês sabem, várias atrações internacionais se apresentam em outras cidades do Nordeste e não vêm a Salvador porque aqui não tem um espaço como esse. Hoje, porém, vamos dar início a esse resgate e à realização desse sonho: vamos trazer de volta o grande ginásio da cidade”, disse Bruno Reis em discurso.

A localização foi escolhida estrategicamente: a Arena Esportiva ficará ladeada pela Arena Daniela Mercury e pelo Parque dos Ventos, ambos para eventos a céu aberto, e pelo Centro de Convenções, para encontros corporativos e feiras. Ou seja: a orla da Boca do Rio vai se consolidar como o maior e mais diverso complexo de eventos do Norte e Nordeste, sendo um dos mais completos do Brasil.

“Gente, nenhuma outra cidade do Brasil possui algo assim. Nem mesmo São Paulo, com o Ibirapuera. São quatro grandes equipamentos, um do lado do outro, que vão se completar e se integrar. Tudo com fácil acesso, em frente ao mar, numa localização estratégica que vai fazer com que Salvador, que já é líder hoje no Brasil na atração de eventos, seja também de eventos esportivos. Temos um masterplan para toda essa área da Boca do Rio, com visão econômica, e esses equipamentos vão gerar milhares de empregos”, afirmou Bruno Reis.

O nome oficial da Arena Esportiva vai homenagear Antônio Balbino, governador da Bahia entre 1955 e 1959, que batizava o ginásio demolido em 2010. Familiares dele estavam no evento da assinatura. “Esse equipamento tem a visão de resgatar também a nossa história, voltando a homenagear um dos grandes homens públicos que a Bahia teve. O antigo ginásio a população chamava de Balbininho. Aqui, será o Balbinão”, disse Bruno Reis.

*Alto padrão -* Toda a estrutura será climatizada e contará com um eficiente tratamento acústico, além de infraestrutura completa dividida em quatro pavimentos que abrigarão pista, arquibancadas, camarotes, camarins, sanitários, serviços de alimentação, entre outros espaços.

Versátil, o equipamento terá a possibilidade de receber espetáculos musicais, teatrais e competições esportivas de alto nível, sendo projetado com base nas melhores práticas de edificações voltadas para entretenimento, a fim de entregar eficiência operacional e uma boa experiência para os espectadores, atletas e demais públicos.

Luiz Carlos de Souza, titular da Secretaria de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), pasta que ficará a cargo da obra, disse que a Prefeitura ouviu diversos atores do setor no país antes de construir o projeto, e a recomendação foi que a arena fosse multiuso. “Assim, a gente vai devolver Salvador ao mapa dos eventos internacionais. Com isso a gente gera mais empregos, fortalece a economia, faz com que as pessoas de nossa cidade tenham mais oportunidades para viver numa cidade cada dia melhor, mais agradável e com uma infraestrutura que dá inveja a outras capitais”, disse.

O formato da arena foi pensado para que 100% dos assentos e lugares disponíveis sejam utilizados em qualquer tipo de evento, sem pontos cegos e sem áreas fechadas, tendo arquibancadas em formato de ‘ferradura’, onde um dos setores ficará dedicado exclusivamente à montagem do palco.

Outro ponto importante é a adoção de arquibancadas retráteis, o que permite uma maior amplitude nas capacidades máximas para a arena a depender do tipo de evento. No modo esporte, por exemplo, o local possuirá capacidade máxima de aproximadamente 7,3 mil espectadores, enquanto no modo show a capacidade sobe para 12,5 mil pessoas.

*Potencial -* Presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edington disse que o simples fato do anúncio da construção já começa a movimentar o setor de eventos e de turismo esportivo. “A cidade carecia de um centro esportivo como era o Balbininho, só que essa arena terá uma outra dimensão e virá com uma outra tecnologia, com outro com outro tipo de dinâmica que tem muito a ver com Salvador”, disse.

“Essa notícia é muito relevante para o esporte do Nordeste, sobretudo. Com esse equipamento vamos conseguir atrair competições nacionais e internacionais tanto esportivas como também atender uma demanda de eventos ligados a entretenimento, shows e até esportes eletrônicos, que são competições que precisam de uma área grande, climatizada e fechada para que possa ser realizado”, completou Edington.

Localizada na Avenida Octávio Mangabeira, a Arena Esportiva oferecerá fácil acesso de veículos, sem a necessidade de criar ou alterar os sistemas viários já existentes. Haverá dois bolsões de estacionamento localizados ao norte e ao sul da arena, totalizando 1,1 mil vagas. A Prefeitura possui o plano de desenvolver no entorno um distrito de esportes, cultura, lazer e entretenimento onde a arena será a principal âncora do futuro complexo.

Para o titular da Secretaria de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre), Júnior Magalhães, a arena vai trazer avanços na política de esportes do município. “Essa construção é um marco para Salvador e vai proporcionar o resgate da história do Balbininho que foi um palco de tantos eventos importantes e que há quase 15 anos a cidade perdeu a possibilidade de sediar grandes eventos esportivos. A nossa expectativa é que também haja um incremento no apoio ao esporte amador”, disse.

O projeto econômico da Arena Esportiva foi desenvolvido pela SalvadorPar, empresa de capital misto da administração municipal. A administração do equipamento será feita nos mesmos moldes do Centro de Convenções, com a concessão à iniciativa privada, que vai equipar e operar o espaço.

Foto: Valter Pontes/Secom-PMS




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *