5 de março de 2021
  • :
  • :

Aécio diz que possível desembarque do PSDB do governo Temer será “pela porta da frente”

Aécio diz que possível desembarque do PSDB do governo Temer será “pela porta da frente”

O senador Aécio Neves (MG), presidente afastado do PSDB, reconheceu neste sábado (11), pela primeira vez, que o destino do partido é deixar o governo do presidente Michel Temer. O tucano pertence ao setor da legenda mais alinhado ao Palácio do Planalto. A afirmação foi feita durante a convenção estadual da sigla em Minas Gerais, que reconduziu o deputado federal Domingos Sávio, aliado do senador, ao comando do PSDB local. Na quinta-feira, Aécio havia destituído o senador Tasso Jereissati (CE), que defende o rompimento com o governo Temer, da presidência interina do partido. O ex-governador de São Paulo Alberto Goldman assumiu o posto.

Aécio classificou o embate entre os tucanos que defendem a saída do governo e aqueles que resistem à ideia de uma “falsa discussão”. O PSDB ocupa quatro ministérios: Secretaria de Governo (Antônio Imbassahy), Cidades (Bruno Araújo), Relações Exteriores (Aloysio Nunes) e Direitos Humanos (Luislinda Valois). A divisão do partido ficou clara nas votações das duas denúncias contra Temer na Câmara dos Deputados, ocasiões em que a bancada não se posicionou de forma coesa.

“Há um convencimento de todos nós de que está chegando o momento de nossa saída”, afirmou o senador tucano.

Segundo Aécio, a continuidade do PSDB como base de apoio ao governo Temer não se dá por fisiologismo, mas por apoio ao processo de transição decorrente do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. “Sairemos pela porta da frente, da mesma forma como entramos. Nosso apoio é em torno da agenda de reformas”, declarou o mineiro.

Aécio afirmou que, a partir de consenso interno, uma data será definida para que o PSDB deixe o governo. Para o senador, a possível saída da sigla do governo é fruto do momento, já que o PSDB terá candidato nas próximas eleições.

“A saída do governo deve ser definida rapidamente pelos nossos candidatos e ministros, mas não trazemos esta falsa discussão para a convenção”, declarou Aécio.

Perguntado sobre sua candidatura para 2018, Aécio afirmou que, sem dúvida, estará nas urnas, mas não deixou claro qual papel irá desempenhar:

“No momento, meu papel é de fortalecer o partido, também de ajudar Minas”, destacou ao ser perguntado sobre nova candidatura ao Senado ou ao governo de Minas Gerais.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *