17 de novembro de 2018
  • :
  • :

EXCLUSIVO: MBL acredita que novo Congresso pode bancar ideias liberais de Bolsonaro

EXCLUSIVO: MBL acredita que novo Congresso pode bancar ideias liberais de Bolsonaro

Por Davi Lemos (dvlemos@gmail.com)

Líder nacional do Movimento Brasil Livre (MBL) e deputado federal eleito, Kim Kataguiri (DEM/SP) acredita que o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) não deve encontrar dificuldades para implantar ideias liberais defendidas pelo economista Paulo Guedes caso vença o segundo turno no dia 28 de outubro. Kataguiri, que também lançou seu nome para a presidência da Câmara dos Deputados, aposta na nova configuração do parlamento como facilitador da governabilidade no início do provável governo Bolsonaro, que lidera todas as pesquisas de intençoes de voto com vantagem confortável.

“A eleição surpreendeu bastante. O PSL teve a segunda maior bancada e deve ter a maior bancada com a abertura da janela partidária, ultrapassando o PT. Boa parte dos deputados que se reelegeram ainda estão assustados para entender a nova lógica que levou a essa mudança tão radical e, nesse primeiro momento, devem votar com o governo”, disse o democrata, que está nesta sexta (19), em Salvador, para cumpri agenda até domingo (21), com passagem em Juazeiro, fazendo campanha contra o PT. Ele está acompanhado pelos também membros do Movimento Brasil Livre (MBL), o vereador de São Paulo Fernando Holliday (DEM) e o deputado estadual eleito Arthur do Val (DEM/SP), o “Mamãe Falei”.

A entrevista ao NewsBA foi concecida na residência do coordenador do MBL-BA, Ricardo Almeida. Os três líderes nacionais do MBL deixaram claro, após serem questionados, que a jornada de conscientização contra o PT que realizam não faz parte do caixa 2 em favor de Bolsonaro, denunciado pela Folha de São Paulo. “Se enquadrando na definição da Folha para caixa 2, nosso trabalho voluntário de conscientização contra o PT também seria caixa 2”, brincou Kim Kataguiri. Artur Mamãe Falei complementou: “E mais do que isso. Nós já estamos nos organizando para a próxima (eleição), fazer isso para o nosso oponente. Depois vamos denunciar e pedir a cassação da chapa”, ironizou o deputado estadual eleito, segundo quem isso substituiria a estratégia de apresentar propostas e pedir votos para si.

O trio paulistano também ressaltou que o PSL busca o diálogo com outros partidos, com a exceção daqueles da esquerda que devem ficar na oposição.

“O (deputado federal reeleito pelo PSL/SP) Eduardo Bolsonaro não quer que o candidato à presidência da Câmara seja do PSL”, ressaltou Fernando Holiday. Isso, por exemplo, abriria caminhos para a candidatura de Kataguiri. “O Delegado Waldir (PSL/GO) e o Capitão Augusto (PR/SP) são outros dois nomes postos, mas são reeleitos e corporativistas”, avaliou Kim, admitindo, entretanto, ser ainda cedo para tecer um cenário definitivo.

WhatsApp e redes sociais – Comentando sobre a ação do PSOL que quer bloquear o acesso ao WhatsApp até as eleições, o deputado estadual Arthur do Val afirmou ser o escancaramento do “desesperode quem vai perder a boquinha”. Ele ainda comparou: “Quando Moro redige uma sentença de mais de 200 páginas e quando Pallocci revela mais de R$ 16 bilhões para campanhas do PT, isso não serve para nada. Quando a Folha espalha uma ‘fake news’, há uma ação orquestrada com Ciro e Haddad pedindo a cassação da chapa de Bolsonaro”.

Kataguiri também comentou que a “histeria da esquerda” se dá ainda pelo fato de a direita não ser mais vista como malvada, como defensora de ditaduras. “A sociedade mostrou que há pontos divergentes”, ressaltou o parlamentar eleito. Arthur do Val também ressaltou que pode ocorrer uma “guerra de foice” entre a nova geração e a velha geração nos parlamentos. “Nós chegamos com outra ideia, sem corporativismos. Na Assembleia Legislativa de São Paulo, seremos defensores de ideias liberais. Não seremos base por ser base ou oposição por ser oposição”.

Do Val, inclusive, explicou que foi dessa maneira que o MBL afastou-se e aproximou-se agora de Dória em São Paulo. “Nos afastamos depois que ele cometeu alguns erros. Mas contra um candidato comunista como o Márcio França, nosso apoio agora é do Dória”, explicou o deputado estadual. Com o que brincou Kataguiri: “que hoje é mais do PSL que do PSDB”.

Ainda falando sobre redes sociais, os membros do MBL apontam que estas eleições são um divisor de águas. “Mesmo os candidatos mais tradicionais que foram reeleitos, fizeram um bom trabalho nas redes sociais”, avaliou Kataguiri. Aqueles que ficaram restritos a pedir votos nas bases, junto a prefeitos e lideranças, não tiveram sucesso nas urnas.

Programação – Kim Kataguiri, Arthur do Val e Fernando Holiday realizam, neste sábado (20), às 16h, uma carreata em Juazeiro, com concentração no Vaporzinho. Eles devem cruzar a cidade e ir até Petrolina (PE).

No domingo (21), às 10h, Kataguiri e do Val participam de ato em favor da candidatura de Bolsonaro e contra o PT no Farol da Barra. Holiday, por sua vez, estará em São Paulo, no ato que será realizado na Avenida Paulista.

Foto: Davi Lemos/NewsBA




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *