31 de maio de 2020
  • :
  • :

Cremeb cassa registro de médico que prometeu “soro da imunidade” para coronavírus

Cremeb cassa registro de médico que prometeu “soro da imunidade” para coronavírus

O médico Aldo Araujo Grisi está impedido de atuar profissionalmente. A interdição cautelar do exercício da medicina por ele foi decidida, por unanimidade, nesta sexta-feira (27), pelo Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb). Grisi prometia pelas redes sociais, em meio à pandemia do novo coronavírus, um soro de imunidade para prevenir a infecção pela Covid-19.

“O coronavírus desembarcou no Brasil. Pensando nisso, modifiquei o soro personalizado. Agora, está mais potente para reforça (sic) sua imunidade mais rápido e evitar que qualquer virose se instale em seu corpo”, dizia o médico em uma das postagens, já apagadas no Instagram.

Grisi é famoso por oferecer um “tratamento de hormônios da beleza” e já atendeu famosos como Sheila Mello, Jerry Smith, Felipe Pezzoni e Emiliano d’Avila. A interdição cautelar total dura até o julgamento final do processo ético-profissional, que deverá ser julgado no prazo de seis meses, prorrogável por igual período uma única vez.

A cassação do registro profissional de Grisi foi decidida na sessão plenária realizada quinta-feira (26), de acordo com o Cremeb, e aprovada por unanimidade. A cassação foi publicada nesta sexta-feira (27) no diário oficial da União e assinada pela Conselheira Presidente, Teresa Cristina Santos Maltez.

“Esta medida de natureza preventiva tem como objetivo evitar que, no desempenho da sua atividade, Dr. Aldo Grisi venha a causar com sua conduta prejuízos à população, especialmente, diante da crise provocada pela pandemia do novo Coronavírus (COVID-19), tornando imperiosa a necessidade de resguardar a sociedade nesse momento de vulnerabilidade e agravamento da doença”, afirma o Cremeb, em nota.

Em comunicado, o Conselho afirma que recebeu denúncia relativa às postagens pelo Dr. Aldo Grisi em redes sociais. “Nelas, o médico afirma ter tratamentos não completamente descritos, mas que teriam o efeito de “reforçar a imunidade” e auxiliar na prevenção contra o coronavírus. O Cremeb/CFM não reconhece nenhum tipo de tratamento neste sentido e instaurou imediatamente Sindicância para apurar os fatos. A Sindicância foi concluída e foi proposta a interdição cautelar, aprovada por unanimidade pelo Conselho Plenário em 26/03/2020”.

Foto: Reprodução do Instagram




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *