3 de agosto de 2020
  • :
  • :

Pacientes covid-19 têm média de permanência de 1,2 dia nas UPAs de Salvador

Pacientes covid-19 têm média de permanência de 1,2 dia nas UPAs de Salvador

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Salvador apresentam uma média de permanência de pacientes infectados ou suspeitos por Covid-19 de 1,2 dia. O curto tempo de espera para transferência aos leitos de referência tem garantido acesso mais rápido ao tratamento adequado para os portadores do novo coronavírus e minimizado os riscos de transmissão da doença nas unidades de emergência da capital.

Uma das ações que contribuem para essa média é a instalação de 439 leitos nos hospitais da cidade, feita pela Prefeitura, para tratamento dos casos de pacientes com coronavírus. Ao todo, são 228 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 211 leitos de enfermaria, alguns deles criados ou adaptados exclusivamente para o período de pandemia, como nos hospitais de campanha do Wet’n Wild e do Itaigara.

“Essa operacionalização ágil de transferência dos pacientes Covid-19 é um dos mecanismos que nós adotamos para salvar o máximo de vidas. Também é o reflexo da boa interação entre a Prefeitura e o governo do estado, através das respectivas Secretarias de Saúde, sempre em prol da valorização da vida humana”, afirma Leo Prates, titular da Saúde de Salvador.

A diretora de Regulação, Controle e Avaliação do Município, Daniela Alcântara, lembra que a lei preconiza justamente regular o paciente em um prazo máximo de 24 horas. “Essa média de 1,2 dia ocorre, porque, às vezes, algum paciente passa mais tempo por falta de informação ou por estar classificado em outra doença. Tivemos um caso mesmo de um paciente que ficou quatro dias aguardando, porque ele não estava como pedido de regulação por Covid-19, mas por doença vascular. Em geral, os pacientes classificados com Covid estão sendo transferidos em até 24 horas”, complementa a gestora.

UPAs – As UPAs também passam por uma ampliação dos leitos para melhor atender aos pacientes. Ao todo, 89 leitos devem ser instalados no período de pandemia, aumentando em mais de 30% a capacidade de atendimento nas unidades de urgência e emergência. Quatro UPAs já receberam gripários, estruturas anexas às unidades e voltadas especificamente para pacientes com sintomas da gripe e do coronavírus. As unidades com gripário são a do Vale dos Barris, Paripe, Pirajá/Santo Inácio e Valéria.

Além disso, a Prefeitura de Salvador inaugurou no final de junho a UPA Santo Antônio, na Cidade Baixa. A estrutura é a maior do Norte/Nordeste do país e conta com 26 leitos, sendo quatro com estrutura de UTI e equipados com respiradores.

De março a junlo deste ano, 4.579 pessoas já foram diagnosticadas com Covid-19 nas UPAs e Pronto-atendimentos de Salvador. As UPAs são a porta de entrada para o tratamento de diversas doenças. Disponível durante 24h por dia e nos sete dias da semana, essas unidades resolvem grande parte das urgências e emergências, como pressão alta, febre, fraturas, infarto, acidente vascular cerebral, entre outras.

Trata-se de estruturas inovadoras que oferecem aos diversos distritos da cidade uma estrutura simplificada com raio-x, eletrocardiograma, odontologia, laboratório de exames, além de leitos de observação e de UTI para acolhimento e estabilização de pacientes com quadro clínico mais grave.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *