17 de setembro de 2021
  • :
  • :

Tóquio: Sem critério, juízes do surfe tiram Medina do pódio

Tóquio: Sem critério, juízes do surfe tiram Medina do pódio

Quem torceu para Medina, ficou chateado ao assistir às duas últimas baterias na Olimpíada de Tóquio. Depois de ser derrotado em disputa eletrizante contra o japonês Kanoa Igarashi na semifinal, ele voltou a perder na disputa do bronze para o australiano Owen Wright e ficou fora do primeiro pódio olímpico da história do surfe.

Na semifinal disputada contra o japonês Kanoa Igarashi, Medina fez uma manobra muito semelhante ao adversário, porém sua nota foi menor. O surfista não escondeu o incômodo após o término de sua participação nas Olimpíadas.

“É triste quando isso acontece. Muita gente mandou mensagem, é difícil passar o ano treinando, se esforçando e chegar nisso. Minha parte eu fiz, estou amarradão, fiz o meu melhor. Agora, é continuar trabalhando. Tem coisas que não dá para entender, mas tinha que ser assim”, disse à TV Globo.

A bateria do bronze foi morna e acabou em 11.97 x 11.77 para o australiano. Quem assistiu à disputa provavelmente se perguntou o que Medina precisaria fazer para conseguir uma boa nota. Nem o belo aéreo que deu no meio da bateria foi suficiente para convencer os jurados de que tinha pego a melhor onda: ficou apenas com um 6.00. Abaixo dos 6.50 conquistados por Wright que acabaram sendo determinantes para a subida no pódio. As piores notas dadas a Medina foram de um compatriota de Wright, chamado Benjamin Lowe.

Ficou uma sensação de injustiça. O próprio brasileiro estava visivelmente abatido ao sair do mar. Questionado sobre as decisões do júri, preferiu dizer palavras comedidas, tão visivelmente sem jeito quanto a torcida no país, frustrada por não ver o melhor surfista do mundo na atualidade fora do pódio.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *