19 de maio de 2024
  • :
  • :

Cientistas recebem Nobel de Medicina por desenvolver vacina contra Covid-19

Cientistas recebem Nobel de Medicina por desenvolver vacina contra Covid-19

A bioquímica húngara Katalin Karikó e o médico norte-americano Drew Weissman receberam, nesta segunda-feira (2), o prêmio Nobel de Medicina por descobertas que levaram ao desenvolvimento de vacinas contra a Covid-19.

“Através das suas descobertas inovadoras, que mudaram fundamentalmente a nossa compreensão de como o mRNA interage com o nosso sistema imunitário, os laureados contribuíram para a taxa sem precedentes de desenvolvimento de vacinas durante uma das maiores ameaças à saúde humana nos tempos modernos”, disse a Fundação Nobel no momento do anúncio.

Karikó foi vice-presidente sênior e chefe de substituição de proteínas de RNA na BioNTech até 2022 e desde então atua como consultora da empresa. Ela também é professora da Universidade de Szeged, na Hungria, e professora adjunta da Escola de Medicina Perelman da Universidade da Pensilvânia.

Weissman é professor de pesquisa de vacinas na Escola Perelman.

A húngara descobriu uma maneira de evitar que o sistema imunológico desencadeie uma reação inflamatória contra o mRNA produzido em laboratório, anteriormente visto como um grande obstáculo contra qualquer uso terapêutico do mRNA.

Juntamente com Weissman, ela mostrou em 2005 que ajustes nos nucleosídeos, as letras moleculares que escrevem o código genético do mRNA, podem manter o mRNA sob o radar do sistema imunológico.

O prêmio foi entregue pela Assembleia Nobel da Universidade Médica do Instituto Karolinska, na Suécia, e também vem com 11 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 5 milhões).

A entrega do prêmio de medicina dá início à premiação deste ano e os cinco restantes serão revelados nos próximos dias.

O Nobel, entregue pela primeira vez em 1901, foi criado pelo inventor da dinamite sueco e rico empresário Alfred Nobel, e é atribuído a realizações na ciência, literatura e paz, e nos anos posteriores também à economia.

O rei sueco entregará os prêmios numa cerimônia em Estocolmo, no dia 10 de dezembro, aniversário da morte de Nobel, seguida de um luxuoso banquete na Câmara Municipal.

O prêmio de medicina do ano passado foi para o sueco Svante Paabo pela sequenciação do genoma do Neandertal, um parente extinto dos humanos atuais, e pela descoberta de um parente humano até então desconhecido, os denisovanos.

Outros vencedores anteriores incluem Alexander Fleming, que dividiu o prêmio de 1945 pela descoberta da penicilina, e Karl Landsteiner em 1930 pela descoberta dos grupos sanguíneos humanos.
Veja também: Vacina bivalente protege contra novas variantes da Covid-19.

Foto: Divulgação




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *