23 de fevereiro de 2024
  • :
  • :

Luciano Araujo defende CPI da Via Bahia

Luciano Araujo defende CPI da Via Bahia

Hoje (28), na Sala da Presidência da Assembleia Legislativa da Bahia, diversos deputados estaduais defenderam a abertura de uma CPI da Via Bahia. Dentre eles, o líder do Bloco Solidariedade-PL, Luciano Araujo.

Estava marcada para hoje uma audiência de representantes das comissões de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo, de Agricultura e Política Rural e de Defesa do Consumidor e Relações de Trabalho com o presidente da Via Bahia, José Bartolomeu. Apesar da convocação para a audiência, ela não apareceu.

“Mais uma vez o presidente da Via Bahia não comparece a uma audiência pública com colegiados da Assembleia Legislativa da Bahia. E há várias denúncias de descaso desta concessionária na prestação de serviços à população baiana. Portanto, defendemos a abertura de uma CPI para investigar essa concessionária”, afirmou Luciano Araujo.

Será realizada uma consulta à assessoria Jurídica da ALBA jurídica acerca da abertura da CPI.

No dia 31 de julho, Luciano Araujo entrou com uma representação junto ao Ministério Público contra a Concessionária Via Bahia. Segundo o parlamentar, a concessionária oferece uma péssima execução, deixando as estradas acumularem diversos buracos, causando sérios riscos de acidentes.

“Solicito ao MP que os usuários da BR-324 sejam isentos do pagamento da tarifa do pedágio até a conclusão de todas as obras e serviços que se mostram necessários à segurança de todos”, disse ele, na ocasião.

De acordo com o contrato firmado pela União e a ViaBahia, é dever da empresa prestar serviço público de recuperação, operação, manutenção, monitoração, conservação, implantação de melhorias e ampliação de capacidade do sistema rodoviário.

Há denúncias também de asfalto em péssimas condições; demora em prestar suporte para quem precisa trafegar pela via e falta de serviços de manutenção.

A via Bahia administra a BR-116, BR-324, BA-526 e BA-528.

Foto: Divulgação




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *