18 de junho de 2024
  • :
  • :

Bruno Reis lança projeto Salvador LAB para fomentar empreendedorismo no ambiente acadêmico

Bruno Reis lança projeto Salvador LAB para fomentar empreendedorismo no ambiente acadêmico

A Prefeitura de Salvador lançou nesta segunda-feira (20) o projeto Salvador LAB, que tem o intuito de estimular a cultura empreendedora na cidade, criando conexões entre o estudante universitário e o mercado investidor. A iniciativa incentivará a formação de empreendedores a partir de mentorias, oficinas, workshops e editais que serão realizados através de parcerias com universidades e instituições de ensino superior. Os detalhes foram divulgados pelo prefeito Bruno Reis e pela titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Renda (Semdec), Mila Paes, durante evento na Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia (Ufba), no Vale do Canela.

O Salvador LAB está dividido em três pilares. O primeiro deles é o TCC Empreendedor, que consiste na seleção e inscrição de Trabalhos de Conclusão de Curso, com caráter inovador e empreendedor, transformando estes em projetos concretos de negócios ou startups. Qualquer universitário acima de 18 anos pode participar. A inscrição acontece até o dia 10 de abril, no site salvadorlab.salvador.ba.gov.br.

Os demais pilares são: Inovação Aberta, que terá editais específicos para resolução de problemas, cases ou desafios, que podem ser disponibilizados por empresas ou pelo próprio município de Salvador; e o Educação Empreendedora, destinado à elaboração de agenda de atividades nas universidades, tanto presencialmente quanto em ambiente virtual, por meio da realização de palestras, seminários, hackathons, workshops para capacitação e desenvolvimento do potencial empreendedor na cidade.

Bruno Reis explicou que a capital baiana tem no setor de turismo e serviços o carro-chefe para geração de emprego e renda. No entanto, é necessário ampliar a cadeia produtiva incentivando novos nichos para que a cidade dê um salto econômico e diminua desigualdades sociais históricas.

“Entendemos que é fundamental desenvolvermos novos vetores para que Salvador tenha crescimento econômico. Isso envolve estímulo à economia criativa, à tecnologia, inovação e ao empreendedorismo. O Salvador LAB vai estabelecer premiações através de editais para transformar os Trabalhos de Conclusão de Curso dos alunos em projetos efetivos, tornando-os realidades. Há muitas boas ideias e trabalhos que, ao serem realizados, ficam na prateleira por falta de incentivo. Nós, como poder público, em conjunto com a sociedade civil, empresas e universidades, iremos estimular todo esse ecossistema empreendedor”, afirmou o chefe do Executivo municipal.

O Salvador LAB tem como parceiros a Uniruy, Unifacs, Ufba, Instituto Federal da Bahia (Ifba) e Faculdade Cayru. Os projetos dos estudantes inscritos serão submetidos a uma banca avaliadora, e os que forem selecionados passarão por aceleração em incubadoras de negócios como a Cubos, Senai-Cimatec e Lighthouse.

Para a secretária da Semdec, Mila Paes, o Salvador LAB proporcionará a criação de empresas no ambiente acadêmico através de parcerias enriquecedoras que vão contribuir para a dinâmica da economia da capital baiana. “É o nascedouro de um novo olhar da Prefeitura para o fortalecimento do empreendedorismo na cidade. A proposta é de aproximação com o setor acadêmico, universitários e organizações públicas e privadas permitindo conectar o que há de melhor entre cada um, e despertando no acadêmico, desde o início do curso, o desejo e as perspectivas de empreendedorismo”, disse a gestora.

Ideias em prática – Professores de instituições de ensino superior também ficaram entusiasmados com o lançamento da nova iniciativa municipal. Coordenador do curso de biotecnologia da Ufba, Astério Pessoa Neto, conta que sempre foi um desafio aproximar academia e mercado de trabalho.

“Não é só pelo empreendedorismo, mas pelas soluções interessantes propostas para Salvador. O trabalho é intenso no sentido de estimular os estudantes a participarem, desenvolvendo suas ideias e TCCs mais empreendedores e menos academicistas. O objetivo é fazer com que os estudantes tenham uma perspectiva de vida que não seja apenas àquela de ser só empregado”, afirmou.

O professor e coordenador do curso de Administração da Ufba, João Tude, lembra que, muitas vezes, o aluno entra no curso de graduação motivado por uma grande ideia que poderia ser aproveitada, mas que acaba caindo no esquecimento por falta de apoio.

“A intenção é unir a Prefeitura, as universidades e as empresas privadas, na elaboração de uma série de treinamentos e propostas que valorizem os projetos de TCC dos alunos e as ideias inovadoras, conectando-as ao mercado de trabalho. Ao mesmo tempo, será dado suporte a essas grandes ideias, selecionando as melhores, validando-as e buscando parcerias para que elas aconteçam de fato, trazendo benefícios para a sociedade, para a universidade e para a população em geral”, enfatizou.

Já o coordenador dos cursos de Engenharia e Tecnologia do Centro Universitário Ruy Barbosa, Vitor Andrade, sinaliza pela necessidade de pesquisas mais empreendedoras e práticas nas universidades.

“Queremos mudar esse cenário do academicismo muito teórico para uma coisa mais prática para os nossos alunos. O projeto da Prefeitura veio como uma luva, abrindo o horizonte para os alunos, que ficaram empolgados. Alguns que já estavam elaborando trabalhos de conclusão com viés empreendedor, na área de tecnologia, não sabiam como caminhar depois dali. O projeto abriu a possibilidade de expandir suas ideias para além da academia”, salientou.

Foto: Valter Pontes/Secom-PMS




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *