21 de agosto de 2019
  • :
  • :

Camaçari: Poligonal do Parque das Dunas de Abrantes é debatida em audiência

Camaçari: Poligonal do Parque das Dunas de Abrantes é debatida em audiência

Para discutir o tamanho e limites, a chamada poligonal, do Parque Municipal das Dunas de Abrantes, foi realizada nesta terça-feira (13) uma audiência pública. A iniciativa foi promovida pela Prefeitura de Camaçari, através da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Sedur), e o debate aconteceu em conjunto com a Câmara de Vereadores, no Teatro Alberto Martins, onde estão sendo realizados os atos do Legislativo.

Para o secretário de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, Genival Seixas, “essa audiência é para que os vereadores e a comunidade possam entender melhor esse assunto, que não se encerra aqui, terá desdobramentos. O meio ambiente, a fauna e a flora são temas que alcançam a todos”. O Parque que a gestão está propondo deverá ter 409 hectares, “o que pode parecer uma área imensa, mas para o meio ambiente, não é bem assim”.

O titular da pasta fez questão de lembrar que essa já foi uma área muito maior, com cerca de 700 hectares. O Parque já existia, o que ocorreu com um decreto na década de 70, mas ao longo do tempo, efetivamente, não foi consolidado e foi perdendo espaço, para, por exemplo, invasões e ataques ambientais de pessoas que despejam entulhos e retiram areias.

O momento foi considerado histórico pela presidente da Associação dos Moradores da Via Parque (AVP), Ana Maria Mandim, ao lembrar que essa é a discussão sobre o primeiro parque ecológico de Camaçari. “Todos esperamos que a implantação desse parque seja um ponto final nos crimes”. Ela ainda aproveitou para pedir o apoio dos vereadores “para que esta grande iniciativa se transforme em realidade, em benefício do povo”.

A explicação técnica do que se trata o parque foi feita pela técnica da Sedur e engenheira Ambiental, Milai Rodrigues, como o porquê da área delimitada e a legislação relacionada. Dentre as justificativas para implantação estão: promover a realização de pesquisas e estudos científicos, oportunizar atividades de lazer, práticas educativas e de conscientização ecológica, a manutenção dos recursos hídricos e ordenar o uso e ocupação do solo.

A cidadã Fabiana Franco aproveitou o espaço aberto à população para reforçar a importância do momento, que também considera histórico. “Este é um dia que vai marcar a luta do nosso povo, em especial o povo nativo de Abrantes, da orla de Camaçari”, disse. Ela aproveitou para perguntar sobre a fiscalização, com a dificuldade de profissionais. O secretário Genival Seixas respondeu que esta já é uma preocupação do governo municipal, em ofertar qualidade técnica e os instrumentos para que aconteça.

O próximo passo será o envio de um projeto de lei, pelo Executivo, para avaliação dos vereadores. Depois será estabelecido o plano de manejo, que diz o que se quer com o parque, quais as regras, o que se pode fazer lá. Essa etapa também prevê reuniões técnicas e consulta pública. Também será estabelecido o conselho de administração do parque, e a partir disso iniciar a busca de recursos para implantação.

Estavam presentes o secretário de Turismo, Gilvan Souza, e os representantes da União de Negros pela Igualdade (Unegro) Gilvan Silva e Cilene Assis, da Defensoria Pública, e Fininho e Everaldo Vieira.

Antes foram realizadas algumas consultas públicas, com o objetivo de ouvir a opinião dos moradores da região, bem como discutir alternativas para que o meio ambiente não seja degradado, momento em que a poligonal foi aprovada.

Foto: Tiago Pacheco/Ascom-PMC




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *